Mente

16 características de pessoas com pensamento crítico

Albert Einstein, Henry Ford, Marie Curie, Sigmund Freud. Estes são apenas alguns dos grandes gênios do pensamento crítico que moldaram nossas vidas modernas.

Os pensadores críticos fazem conexões lógicas entre ideias — eles são cruciais para explorar e entender o mundo em que vivemos.

Sobretudo, o pensamento crítico é mais do que apenas o acúmulo de fatos e conhecimentos; é uma maneira de investigar o que está ocupando sua mente para chegar à melhor conclusão possível.

Quem pensa criticamente está focado em atualizar constantemente seus conhecimentos, envolvendo-se em autoaprendizagem. O pensador crítico é, sem dúvida, um dos melhores tipos de líderes, porque ele pode trazer luz para sua empresa ou sua família.

Se você espera alcançar todo o seu potencial e deixar sua marca no mundo, cultive as seguintes 16 características dos pensadores críticos. Leia este artigo até o final para realizar um divertido exercício de pensamento crítico.

1. Observação

pensamento crítico (2)

Bons observadores captam informações importantes para o pensamento crítico. Crédito: Kaboompics.com | Pexels

A observação é uma das primeiras habilidades de pensamento crítico que aprendemos quando crianças — é a nossa capacidade de perceber e entender o mundo ao nosso redor. A observação cuidadosa inclui nossa capacidade de documentar detalhes e coletar dados através de nossos sentidos.

Nossas observações acabarão por levar a uma visão e uma compreensão mais profunda do mundo.

2. Curiosidade

A curiosidade é uma característica fundamental de muitas pessoas bem-sucedidas. Ser intrinsecamente curioso e interessado no ambiente e nas pessoas ao seu redor é uma característica dos pensadores críticos. Em vez de levar tudo a sério, uma pessoa curiosa se perguntará por que algo é assim.

À medida que envelhecemos, é mais fácil deixar de lado o que pode parecer uma curiosidade infantil. A curiosidade força você a manter a mente aberta e o impulsiona a obter um conhecimento mais profundo — todos os quais também são fundamentais para ser um eterno aprendiz.

3. Objetividade

Os bons pensadores críticos são capazes de permanecer o mais objetivo possível quando analisam informações ou uma situação. Eles se concentram em fatos e na avaliação científica das informações disponíveis. Os pensadores objetivos procuram impedir que suas emoções (e as dos outros) afetem seu julgamento.

No entanto, é impossível que as pessoas permaneçam completamente objetivas, porque somos todos moldados por nossos pontos de vista, nossas experiências de vida e nossas perspectivas.

Estar ciente de nossos preconceitos é o primeiro passo para ser objetivo e olhar para um assunto desapaixonadamente. Uma vez que você seja capaz de se afastar da situação, você pode analisá-lo por inteiro.

4. Introspecção

Esta é a arte de estar ciente do seu pensamento — ou, em outras palavras, pensar sobre como você pensa sobre as coisas.

Os pensadores críticos precisam de introspecção para que estejam conscientes de seu próprio grau de atenção, bem como de seus preconceitos. Esta é a sua capacidade de examinar seus pensamentos, sentimentos e sensações mais interiores.

A introspecção está intimamente relacionada à autorreflexão, o que lhe dá uma visão do seu estado emocional e mental.

5. Pensamento analítico

pensamento crítico (3)

Os pensamentos analítico e crítico andam de mãos dadas. Crédito: rawpixel.com | Pexels

Os melhores pensadores analíticos também são pensadores críticos e vice-versa.

A capacidade de analisar informações é fundamental quando se olha para quase qualquer coisa, seja um contrato, relatório, modelo de negócio ou até mesmo um relacionamento.

Analisar informações significa dividir as informações em suas partes componentes e avaliar como essas partes funcionam juntas e separadamente.

A análise depende da observação; na recolha e avaliação de provas para que você possa chegar a uma conclusão significativa. O pensamento analítico começa com a objetividade.

6. Identificando vieses

Os pensadores críticos se desafiam a identificar as evidências que formam suas crenças e avaliam se essas fontes são confiáveis ​​ou não. Isso ajuda a entender seus próprios preconceitos e questionar suas noções preconcebidas.

Este é um passo importante para se tornar consciente de como os preconceitos se intrometem em seu pensamento e reconhecem quando as informações podem ser distorcidas. Ao olhar para a informação, pergunte a si mesmo quem é a informação beneficia.

A fonte dessa informação tem uma agenda? A fonte ignora ou omite informações que não apoiam suas reivindicações ou crenças?

7. Determinação da relevância

Uma das partes mais difíceis do pensamento crítico é descobrir qual informação é a mais relevante, significativa e importante para sua consideração.

Em muitos cenários, você verá informações que podem parecer valiosas, mas pode se tornar apenas um pequeno ponto de dados a ser considerado.

Considere se uma fonte de informação é logicamente relevante para o problema que está sendo discutido. É realmente útil e imparcial, ou é apenas uma distração de um ponto mais pertinente?

8. Inferência

As informações nem sempre vêm com um resumo que explica exatamente o que isso significa.

Os pensadores críticos precisam avaliar as informações e tirar conclusões com base em dados brutos. A inferência é a capacidade de extrapolar o significado dos dados e descobrir possíveis resultados ao avaliar um cenário.

Também é importante entender a diferença entre inferência e suposições. Por exemplo, se você vir dados que alguém pesa 100 kg, você pode considerar que ele está com excesso de peso ou não é saudável.

No entanto, outros dados como altura e composição corporal podem alterar essa conclusão.

9. Compaixão e empatia

pensamento crítico (4)

Ignorar os seres humanos não é pensar criticamente. Crédito: Juan Pablo Arenas | Pexels

Ter compaixão e empatia pode parecer negativo para o pensamento crítico. Afinal, ser sentimental e emocional pode distorcer nossa percepção de uma situação.

Leia:  23 lembretes que adultos de 23 anos precisam ler agora

Mas o objetivo de ter compaixão é ter preocupação pelos outros e valorizar o bem-estar de outras pessoas.

Sem compaixão, veríamos todas as informações e situações do ponto de vista de fatos e dados científicos frios e sem coração. Seria fácil permitir que o nosso cinismo se tornasse tóxico e desconfiasse de tudo o que considerássemos.

Porém, para ser um bom pensador crítico, devemos sempre levar em conta o elemento humano. Nem tudo o que fazemos é sobre dados e informações destacadas — também é sobre pessoas.

10. Humildade

Humildade é a vontade de reconhecer as próprias deficiências e ver os atributos positivos de uma maneira precisa.

Quando você tem humildade, você está ciente de suas falhas, mas também de seus pontos fortes. Quando você tem humildade intelectual, está aberto aos pontos de vista de outras pessoas, reconhece quando está errado e está disposto a desafiar suas próprias crenças quando necessário.

Esses são elementos importantes no pensamento crítico, pois você está disposto a ampliar e abrir sua mente.

11. Disposto a desafiar o status quo.

Pensamento crítico significa questionar práticas estabelecidas há muito tempo e se recusar a aderir aos métodos tradicionais simplesmente porque é assim que sempre foi feito.

Os pensadores críticos estão procurando respostas e métodos inteligentes e ponderados que levem em consideração todas as informações e práticas atuais e relevantes disponíveis. Sua disposição para desafiar o status quo pode parecer controversa, mas é uma parte essencial da mente criativa e inovadora de um pensador crítico.

12. Mente aberta

Ser capaz de se afastar de uma situação ajuda os pensadores críticos a ter a visão mais ampla. Pensadores críticos evitam entrar em uma discussão frenética ou tomar partido — eles querem ouvir todas as perspectivas.

O pensamento crítico não tem conclusões precipitadas. Afinal, uma questão é abordada com a mente aberta e outras opiniões e pontos de vista são bem-vindos.

13. Consciente de erros comuns de pensamento

pensamento crítico (5)

Conhecer as falácias lógicas é essencial para ser um pensador crítico. Crédito: rawpixel.com | Pexels

Os pensadores críticos não permitem que sua lógica e seu raciocínio sejam ofuscados por ilusões e equívocos. Eles estão cientes de falácias lógicas comuns, que são erros no raciocínio que muitas vezes se arrastam em discussões e debates.

Alguns erros comuns no pensamento incluem:

  • Argumento circular — a premissa do argumento é usada como suporte para o próprio argumento.
  • Falsa dicotomia — quando você teimosamente mantém uma visão ou argumento sendo que existem outras possibilidades ou explicações mais efetivas.
  • Falsa causalidade — em outras palavras, afirmando que quando duas coisas acontecem juntas, uma causa a outra. No entanto, sem evidência direta, esta suposição não é justificada.

14. Pensamento Criativo

Pensadores críticos eficazes também são, em grande parte, pensadores criativos.

O pensamento criativo não segue formatos padronizados para resolução de problemas — é o “pensar fora da caixa”.

Os pensadores criativos têm uma ampla gama de interesses e adotam múltiplas perspectivas sobre um problema. Eles também estão abertos a experimentar diferentes métodos e considerar vários pontos de vista.

A maior diferença entre pensadores críticos e pensadores criativos é que a criatividade está associada à geração de ideias, enquanto o pensamento crítico está associado à análise e avaliação dessas ideias.

Criatividade é importante para trazer novas idéias; o pensamento crítico pode trazer essas ideias para um foco mais claro.

15. Comunicadores eficazes

Em muitos casos, os problemas de comunicação são baseados na incapacidade de pensar criticamente sobre uma situação ou vê-la de diferentes perspectivas. A comunicação eficaz começa com um processo de pensamento claro.

O pensamento crítico é a ferramenta que usamos para construir coerentemente nossos pensamentos e, logo depois, expressá-los.

Similarmente, o pensamento crítico depende de seguir o processo de pensamento e a linha de raciocínio de outra pessoa. Um pensador crítico eficaz deve ser capaz de retransmitir suas idéias de maneira convincente e absorver as respostas dos outros.

16. Ouvintes ativos

Os pensadores críticos não querem apenas mostrar suas opiniões aos outros; eles também são cuidadosos em ouvir e realmente entender os pontos de vista dos outros.

Em vez de ser um ouvinte passivo durante uma conversa ou discussão, eles tentam participar ativamente. Eles fazem perguntas para ajudá-los a distinguir fatos de suposições.

Dessa maneira, eles também coletam informações e buscam obter insights fazendo perguntas abertas que investigam mais profundamente a questão.

Fonte: entrepreneur.com. Crédito da imagem de destaque: Luis Alvarez | Getty Images.

Faça exercícios para fortalecer seu pensamento crítico

Se você chegou até o final deste artigo, a pior coisa que você pode fazer agora é fechar a página e seguir sua vida como se nada tivesse acontecido.

Aqui no Awebic nós incentivamos colocar a teoria em prática para sedimentar conhecimento. Portanto, faça um exercício simples e coloque seu pensamento crítico para funcionar.

Primeiro, assista ao vídeo abaixo — “10 mentiras que todo mundo ainda acredita” do canal Você Sabia?.

Em seguida, pergunte-se:

  • O que foi que perpetuou os equívocos em primeiro lugar?
  • Assumindo que os equívocos foram criados acidentalmente, que fato histórico aconteceu para criá-los?
  • Por que isso continuou?
  • O que contribuiu para a recente mudança de pensamento desses equívocos?
  • Como você sabe que a atual “verdade” sobre o equívoco é “mais verdadeira” do que a versão anterior?
  • O que mudou em sua vida após esclarecer seu pensamento?

Pronto para ser um pensador crítico?

O nosso objetivo com este artigo é esclarecer comportamentos de quem pensa de forma crítica. Dessa forma, você pode incorporá-los aos poucos para enriquecer seu pensamento crítico.

Gostou?

Escreva um comentário contando por que você gostaria de desenvolver seu pensamento crítico.