Negócios

Comprar um carro zero ou investir o dinheiro?

O carro próprio e zero km é o sonho de grande parte dos brasileiros.

Quem não quer andar com conforto, sem ficar apertado, com o ar-condicionado ligado e dirigir para onde quiser?

Muitas vezes ter um automóvel vai além do status, pode ser uma necessidade de se locomover para cidades distantes com mais rapidez ou mesmo entregar produtos, fazendo uma renda extra.

O estudo que fiz é sobre a real necessidade de um carro zero ou investir esse dinheiro, um sacrifício que poucos estão dispostos a praticar.

Mas carro é um investimento!

Não, carro não é um investimento.

Um carro gera despesas com combustível, IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), revisões, manutenções, seguros e eventuais colisões, seja para pagar o prejuízo do seu carro ou de outros envolvidos.

Existe também a depreciação, porque o carro não valoriza com o tempo, pelo contrário, perde valor todos os anos com o lançamento de modelos mais novos e melhorados.

A lista de gastos com um carro não é pequena e, por isso, muitas vezes comprar um carro é um luxo e nem sempre necessário. A qualidade do transporte público no Brasil não ajuda, mas atende grande parte da população, todos os dias.

O que é um investimento, então?

Investimento é quando você coloca dinheiro em um ativo, por exemplo, ações de uma empresa, títulos públicos ou em uma conta poupança e esse dinheiro começa a aumentar com o tempo.

Os tipos são bem variados, desde investimentos bem seguros onde a probabilidade de perder é quase zero até outros mais arriscados, nesses a chance de perder é mais alta, porém os ganhos também são altos.

A simulação que vou fazer de um investimento será em um título público, ou seja, com bastante segurança do dinheiro aplicado e também com um bom retorno, bem acima da poupança.

Carro x Investimento

Nesse estudo vou utilizar um carro popular, o seu preço é de R$ 36.000,00 à vista, mas como poucos tem essa grana em mãos, vou simular com um financiamento dando 10% do valor de entrada que é o mínimo pedido pelos bancos.

carro-zero-km

O valor total pago no final do financiamento foi de R$ 58.181,76, o que dá uma diferença de R$ 22.181,76 desembolsados acima do preço original do carro. Não levei em conta nenhuma despesa ou mesmo a depreciação que no final desses 36 meses reduziria o preço de venda do carro em pelo menos 20%.

Leia:  9 frases que pessoas inteligentes nunca usam em conversas

Vou usar os mesmos valores para o investimento, porque se alguém consegue se esforçar em pagar essas parcelas, também consegue guardar o mesmo valor para investir. A taxa do investimento será de 0,85% ao mês, pois é um retorno que encontramos atualmente e com segurança.

investimento-sem-carro

Você deve ter percebido que a primeira linha da tabela está diferente da anterior, porque quando falamos de investimento é normal que o seu dinheiro comece a render e essa renda mensal é o que você conseguiria todo mês, depois dos 36 meses de investimento, sem precisar fazer mais nada.

A diferença dos juros entre o valor que investiria e o que rendeu foi de R$ 10.781,66, o suficiente para comprar um carro usado ou usar a renda mensal para ir trabalhar de Uber.

Investir é só para ricos?

As pessoas acham mais fácil criar dívidas do que investir, isso porque elas fazem dívidas na compra de bens que vão usar agora, o ganho imediato e sem pensar em como vão pagar e colocar essa parcela no orçamento.

É possível investir a partir de 1 real e, mesmo que isso não o torne milionário em pouco tempo, prova que qualquer um pode começar a investir e a colocar os seus planos em ação.

Você deve alinhar os seus objetivos e expectativas de acordo com a sua realidade, mas tomar atitudes que nem todos teriam coragem é o que diferencia uma pessoa de sucesso das demais que vivem apenas de sonhos e arrependimentos.

Alguma dúvida? Deixe sua mensagem nos comentários!

***

Bruno Papi é investidor desde 2011 na Bolsa de Valores, vive atualmente apenas de seus investimentos. Fundador do site General Investidor e co-fundador do Criando Futuro. É Bacharel em Sistemas de Informação, MBA em Gestão de Projetos e cursa pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking pela PUCRS.