Economia

8 segredos simples para ser mais inteligente com seu precioso dinheiro

Todo mundo quer saber qual é o próximo grande investimento, mas essa é a pergunta errada.

Se você quiser ganhar dinheiro a longo prazo, escolher investimentos não é o verdadeiro problema.

Quando os estudos comparam o desempenho dos investimentos e o desempenho dos investidores, sempre há uma lacuna.

Os investidores quase invariavelmente se saem pior do que os investimentos.

Do livro “Você e seu dinheiro: Métodos simples para não fazer tolices”:

Os estudos normalmente comparam os retornos reais dos investidores em fundos de ações com os retornos médios dos próprios fundos. Só para ficar claro, eles estão tentando comparar os retornos que os investidores obtêm com os retornos dos investimentos.

Existe realmente alguma diferença? Pode apostar que existe. Normalmente, os estudos concluem que os retornos obtidos pelos investidores ao longo do tempo são muito inferiores aos retornos do investimento médio.

Mas o que está acontecendo? O problema é nosso comportamento.

Fazemos coisas estúpidas como comprar na alta e vender na baixa ou escolher uma ação que proporcione um retorno sólido – enquanto pagamos o dobro dos juros na dívida de cartão de crédito.

E se continuarmos a fazer coisas estúpidas, não importa qual seja o investimento; vamos estragar tudo.

Muitos conselhos financeiros são diretos e simples (“ganhe mais, gaste menos”). Mas assim também é a maioria dos conselhos sobre dietas (“coma menos, faça mais exercícios”) e nós simplesmente não fazemos.

É simples – mas não é fácil.

Como ser maias inteligente com seu dinheiro

Então, quem pode nos tirar dessa armadilha?

Carl Richards escreve sobre finanças pessoais para o New York Times e tem dois best-seller “Você e seu dinheiro” e “The One-Page Financial Plan”.

Ele coloca de forma simples:

“O sucesso financeiro é mais sobre comportamento do que sobre habilidade”.

Vamos lá…

Lembrete: você não consegue prever o futuro

Não há investimento “perfeito”. O tempo é sempre um problema.

As pessoas disseram que as ações de tecnologia continuariam subindo – e então o ano 2000 aconteceu. Comprar uma casa foi uma aposta infalível — e então o ano de 2008 chegou.

Do livro “Você e seu dinheiro”:

Tentar escolher o caminho de crescimento futuro de uma ação com base no crescimento passado é como tentar adivinhar se uma moeda vai dar cara ou coroa quando você sabe que a última foi cara. O evento anterior não lhe diz nada.

Algumas pessoas vão argumentar:

“Mas a Apple subiu mais de 4.000% desde o final de 2000 até o final de 2010!”

Claro, mas você acha que vai continuar fazendo isso para sempre? Claro que não. Então, voltamos a prever o futuro.

E, infelizmente, a sua bola de cristal continua dizendo: “Resposta nebulosa, tente novamente.”

Isso não deve paralisar você. Você vai investir seu dinheiro em algum lugar. Mas você quer basear suas decisões em princípios sólidos — não pressupor resultados que são sempre incertos.

Para realmente melhorar suas finanças a longo prazo, você precisa de um plano.

Não, não precisa ser um plano gigante de 200 páginas que você nunca verá e não exige que analise cada conta de TV e telefone que recebeu nos últimos 15 anos.

Na verdade, o plano pode caber em uma ficha…

Pergunte “O que o dinheiro significa para mim?”

O planejamento financeiro parece tão avassalador que nossa primeira reação é levantar os braços e implorar a qualquer especialista que “apenas me diga o que fazer”. Mas isso não funciona.

Carl pediu aos principais gerentes financeiros para aconselhá-lo como se ele fosse um novo cliente — mas não permitiria que eles fizessem perguntas. Eles só tinham que fazer recomendações cegas. E exatamente zero deles poderia fazê-lo com responsabilidade.

Porque as decisões financeiras são muitas vezes decisões de vida. E todas as nossas vidas — e nossos objetivos de vida — são diferentes.

Do livro “Você e seu dinheiro”:

As decisões financeiras quase sempre são decisões de vida. Antes de decidir sobre suas metas financeiras, você precisa escolher suas metas de vida. Quando você liga as decisões financeiras às decisões da vida, encontra um conjunto totalmente diferente de desafios.

A situação financeira de cada pessoa se torna única, porque seus objetivos são únicos. Não se trata mais de abstrações como uma aposentadoria segura ou uma educação universitária — é sobre sua visão de aposentadoria e a educação de seu filho.

O que lhe traz felicidade pode não trazer felicidade ao próximo — e um plano enlatado não funcionará para nenhum de vocês.

Então, a primeira — e mais importante — pergunta a se fazer é:

“O que o dinheiro significa para mim?”

(Sim, eu sei, você não esperava que o planejamento financeiro soasse como se estivesse falando com um terapeuta.)

O dinheiro significa segurança? Oportunidade? Liberdade? Alguma outra coisa? Depois de ter essa resposta, continue procurando.

Você quer ter uma visão de quais são seus objetivos reais, juntamente com uma ideia de seus horizontes de tempo, tolerância ao risco e que tipo de mudanças está disposto a fazer.

Seu plano não precisa ser totalmente claro e pode mudar.

Mas você precisará dele como uma Estrela Guia, para não correr atrás de toda “grande oportunidade” sobre a qual você lê no jornal ou da “ação que está bombando” que o Tio João menciona na mesa de jantar do feriado.

Se você tem um cônjuge ou parceiro, é melhor ter essa discussão em conjunto, pois a Estrela Guia dele(a) pode ser diferente da sua.

Uma vez que você tenha uma ideia do que o dinheiro significa para você, deve ser mais concreto sobre seus objetivos. Especifique três grandes.

Você quer estar pronto para a aposentadoria daqui a 30 anos? Ou para colocar seus filhos na faculdade em 15?

Você quer comprar uma casa em 5 anos? Ou viajar mais em 2?

Como ser maias inteligente com seu dinheiro

Carl diz que o processo é sobre perceber onde você quer ir, onde está agora e depois diminuir a lacuna. Porque a principal questão ao avaliar qualquer investimento é:

“Isso vai me ajudar a alcançar meus objetivos?”

E agora que você sabe o que é importante, podemos falar sobre comportamento. E o comportamento geralmente se resume a sentimentos.

Sentimentos podem ser as coisas mais poderosas em nossas vidas. Sentimentos podem fazer memórias que duram. Mas se você não for cuidadoso…

Sentimentos podem ser muito caros

Nós compramos na alta e vendemos na baixa porque nos sentimos seguros quando seguimos a manada. Nós nos apegamos às ações de nosso empregador mesmo quando não estão alinhadas com nossas metas porque nos sentimos fiéis.

E nós negociamos ações desnecessariamente porque parece, bem… divertido. Há uma palavra para isso: aposta.

Com o que todos podemos concordar sobre aposta? É divertido, excitante… E algo que você nunca recomendaria a ninguém usar como base para sua aposentadoria ou para a educação de seus filhos.

Investir não é entretenimento. Baseie suas decisões em metas e princípios, não em seus sentimentos sobre o que vai acontecer.

Não “jogue” com o mercado de ações; é assim que você é “jogado”.

Mas agora você pode não ter muito dinheiro para sequer pensar em investir. Então, qual é uma maneira simples de começar a gastar menos?

Use o teste de 72 horas

Obviamente, você quer fazer o que toda coluna de aconselhamento financeiro desde o alvorecer do tempo recomenda: monitorar seus gastos.

É chato — mas como acabamos de aprender, chato é bom. Gastar menos é importante — mas não é fácil.

Como podemos tornar isso um pouco mais fácil?

Felizmente, Jeff Bezos criou um recurso maravilhoso para ajudar você a controlar seus gastos. É chamado de “seu carrinho de compras da Amazon”.

Admita, poucas das coisas que você compra online precisam ser compradas imediatamente.

A partir de agora, tudo o que você comprou com um clique vai obrigatoriamente para o seu carrinho de compras por 72 horas.

Depois de três dias, quando as emoções do tipo “me dá, me dá, me dá” forem embora, pergunte objetivamente se isso é mais importante do que se aproximar dos objetivos do seu plano financeiro.

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

Quando eu volto ao site, raramente me sinto tão compelido a comprar o que está no meu carrinho. Então, eu apago esses itens e, no processo, economizo muito dinheiro e acabo com a necessidade de encontrar mais espaço.

O bom do Teste de 72 Horas é que poucas coisas devem ser compradas agora. O tempo extra fornece uma folga: não estamos dizendo “não”; nós simplesmente não cedemos ao nosso desejo por gratificação instantânea.

Então você está gastando menos. Legal. Mas como você realmente começa a economizar — e sem exercer autocontrole?

Automatize o bom comportamento

A maneira mais fácil de não tomar decisões estúpidas é não se deixar realmente tomar as decisões. A maioria, se não todos, dos sites financeiros online permitem automatizar as transações.

Deixe seu Dr. Jekyll configurar transferências para poupança, pagamentos de contas e qualquer outra coisa importante para que seu Sr. Hyde não vá para uma farra de gastos.

Leia:  Entenda o que acontece com o nosso cérebro quando reclamamos demais

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

Em vez de se obrigar a tomar essas decisões repetidas vezes, as torne automáticas para que suas boas intenções possam se transformar em bom comportamento. Você pode automatizar suas economias e suas alocações para o plano de aposentadoria e se certificar de que elas sejam automaticamente reequilibradas, e eu também sugiro automatizar determinados pagamentos, como hipotecas ou empréstimos de carro…

O ponto é: ao tomar essas decisões automáticas, a tentação de trapacear diminuirá.

Você está gastando um pouco menos e economizando mais sem dor.

Agora, como você avalia corretamente os investimentos que foram comprados muito antes de você ler esse post insanamente útil sobre finanças pessoais?

Use o Teste de Uma Noite

Agora você está muito mais claro sobre seus objetivos financeiros. Mas você não estava antes, quando comprou os investimentos que está mantendo atualmente. Como você consegue alinhar tudo?

Do livro “Você e seu dinheiro”:

Pergunte a si mesmo o que você faria se alguém viesse e vendesse todos os seus investimentos da noite para o dia. Na manhã seguinte, você acorda e está com 100% do dinheiro na sua conta.

Aqui está o teste: você pode recomprar os mesmos investimentos sem nenhum custo. Você construiria o mesmo portfólio? Se não, quais mudanças você faria? Por que você não está fazendo essas mudanças agora?

Seus investimentos atuais agora estão alinhados com seus objetivos. Então, como você começa a fazer novos investimentos?

Conheça as regras fundamentais de investimento

Número 1: Pague as dívidas.

Número 2: Tem certeza de que não pode pagar mais dívidas?

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

Se você está endividado com altas taxas de juros, pagar essas dívidas supera qualquer outro investimento financeiro que você possa fazer… As pessoas que entendem os juros, ganham com ele. Pessoas que não entendem, pagam juros.

Pense nisso: pagar as dívidas tem um retorno garantido. Literalmente, risco zero. Você não paga juros sobre o que não deve.

E a dívida sempre está no caminho de perseguir esses objetivos que você acabou de definir.

Número 3: certifique-se de diversificar. Ao não colocar todos os ovos na mesma cesta, você reduz o risco e aumenta os retornos.

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

A mágica da diversificação é que você pode pegar dois investimentos individuais, que quando vistos isoladamente são individualmente arriscados, e combiná-los em um portfólio.

Isso cria um investimento que é, na verdade, menos arriscado do que os componentes individuais e, muitas vezes, tem um retorno maior. Em finanças, isso é o mais perto que chegamos de um almoço grátis.

Em finanças, o “risco não sistemático” é apostar em uma determinada ação, setor ou indústria. Isso requer conhecer o futuro.

Queremos eliminar o risco não sistemático. Queremos nos concentrar em “risco sistemático”. Isso significa apostar no sistema como um todo.

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

O que você quer, em vez disso, é assumir “risco sistemático” — isso significa que você está investido no conceito de capitalismo como um todo. Baseia-se na suposição de que, apesar da natureza ascendente e descendente do mercado (e quão aterrorizantes são as “quedas”), durante longos períodos de tempo, ele continuará a crescer.

Portanto, você deseja possuir centenas de ações em todo o mercado; com certeza, algumas das empresas que você possui falharão, mas isso não afetará muito você, porque você espalha o risco em um monte de coisas.

Isso significa que os fundos mútuos são geralmente melhores do que ações individuais.

Mas qual é o problema com fundos mútuos? Taxas. Você quer manter os custos os mais baixos possíveis.

Toneladas de estudos tentaram descobrir o que faz um fundo mútuo melhor do que outro. Qual foi a única variável preditiva que determinou quais investidores ganharam mais dinheiro?

Do livro “The One-Page Financial Plan”:

Acontece que não há uma única variável que ajude a identificar como um fundo mútuo funcionará — exceto uma. Custo. O que realmente se resume a simples matemática: quanto mais você paga pelos seus investimentos, menos dinheiro vai acabar mantendo.

Além disso, sempre revise seu plano financeiro e pergunte se o investimento o ajuda a atingir suas metas. Ajuda? Isso é empolgante! Mas agora sabemos que não devemos confiar em excitação.

Parece muito divertido, e divertido é perigoso ao investir.

Portanto, peça a um amigo ou membro da família para fazer três perguntas a você, para garantir que você não cometa um erro:

Se eu fizer essa mudança e estiver certo, que impacto isso terá na minha vida?

Que impacto isso terá se eu estiver errado?

Eu estive errado antes?

Se as respostas forem “pequeno”, “horrendo” e “frequentemente”, você pode considerar um investimento mais seguro, como, por exemplo, a roleta russa.

O último conselho é algo que você sempre desejou que alguém lhe dissesse que é o caminho para as riquezas

Seja ignorante e preguiçoso

Um grande erro que as pessoas cometem é a leitura de notícias financeiras de curto prazo que deixam as pessoas ansiosas para comprar, vender ou de outra forma jogar.

Diga comigo agora: você não pode prever o futuro. E nem os especialistas.

Mas eles precisam fazer previsões todos os dias, de qualquer maneira. As previsões servem para ajudá-los a manter seus empregos e ajudar você a perder dinheiro.

A imprensa não escreve histórias sobre pessoas que economizaram seus centavos, pagaram seus cartões de crédito e fizeram investimentos seguros e entediantes ao longo de trinta anos.

(Que tédio.)

Então faça sua lição de casa com antecedência e ignore as notícias.

Como ser maias inteligente com seu dinheiro

Atualizações diárias só te deixam ansioso e ansiedade raramente leva a decisões inteligentes sobre dinheiro. Apenas preste atenção ao que realmente importa para seus objetivos e o que você pode controlar.

Como Carl gosta de dizer: “Concentre-se em sua economia pessoal e pare de se preocupar com a global”.

Algumas pessoas vão reclamar: “Mas e os cisnes negros! Se as pessoas tivessem prestado atenção, poderíamos ter evitado a crise de 2008!”

Bem, eles fizeram pesquisas sobre os especialistas que preveem corretamente mudanças extremas. E adivinha?

Do livro “Você e seu dinheiro”:

Os caras que ocasionalmente pregam uma previsão muito dramática são na verdade menos confiáveis ​​do que seus colegas mais equilibrados.

Keohane cita um estudo de 2010 do economista Jerker Denrell, de Oxford, e de Christina Fang, da Universidade de Nova York, que examinou dados do artigo “Survey of Economic Forecasts” no The Wall Street Journal.

Denrell e Fang concluíram que os economistas que apontam corretamente os eventos mais inesperados têm piores desempenhos de longo prazo do que o resto da turma.

Então reserve tempo regularmente para planejar diligentemente — e então seja preguiçoso.

A princípio, pode parecer assustador ignorar as notícias, mas pense no tempo que você vai economizar, não rastreando o mercado, não negociando e não ouvindo o grito de Jim Cramer.

Muito bem, nós vimos muita coisa. Vamos finalizar tudo…

Resumo

É assim que somos mais inteligentes com dinheiro:

  • Lembrete — Você não pode prever o futuro: Adivinhar a hora certa do mercado não é investir; é apostar. E como você reagiria se eu dissesse que planejava financiar minha aposentadoria através de apostas?
  • Pergunte: “O que o dinheiro significa para mim?”: Faça um plano simples e certifique-se de que seus investimentos o servem.
  • Os sentimentos podem ser muito caros: Investir é chato. E certifique-se de que continue assim. Não “jogue” no mercado. É assim que você é “jogado”.
  • Use o Teste de 72 Horas: Poucas coisas precisam ser compradas imediatamente. Deixe-as em seu carrinho de compras por 3 dias para evitar compras por impulso.
  • Automatize o bom comportamento: Até que nossos senhores de robôs cheguem, aproveite os nossos robôs subalternos. A melhor maneira de ser consistente com o bom comportamento é automatizá-lo.
  • Use o Teste de Uma Noite: Se todos os seus investimentos fossem vendidos, quais você realmente recompraria? E por que seu portfólio não é assim agora?
  • Conheça as regras fundamentais de investimento: Pague as dívidas. Diversifique. Mantenha os custos baixos. Elimine risco não sistemático.
  • Seja ignorante e preguiçoso: Informação demais é uma má ideia com pessoas que você acabou de conhecer e com investimentos. Se o seu dinheiro já está trabalhando duro, por que interromper?

É simples, mas não é fácil. Portanto, planeje, automatize e seja preguiçoso para que você possa sair do seu próprio caminho.

Não é aposta, mas isso não significa que não seja recompensador.

Ser inteligente com dinheiro é chato a curto prazo, mas sexy a longo prazo.

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Barking Up The Wrong Tree, escrito por Eric Barker.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Gostou do conteúdo? Então comente e compartilhe-o com seus amigos!