Cultura

Se você acha que ficar entediado é chato, você precisa assistir isso

Às vezes acontece de você ter as ideias mais criativas enquanto está guardando a roupa passada, lavando pratos ou não fazendo nada em especial?

É porque, quando seu corpo está no piloto automático, seu cérebro fica ocupado formando novas conexões neurais que conectam ideias e resolve problemas.

Aprenda a amar o tédio com a explicação de Manoush Zomorodi sobre a conexão entre divagação e criatividade.

Clique no play abaixo para assistir.

Lembre-se de habilitar as legendas em português. Se preferir, assista ao vídeo no TED.com.

Ficar entediado é chato, né?

Nós sempre fazemos algo para evitar o tédio e, agora com os smartphones, nós nunca mais ficamos entediados.

Nós respondemos emails 24 horas por dia, tuítamos enquanto assistimos TV, assistimos TV enquanto estamos no trânsito, checamos o Facebook enquanto caminhamos e o Instagram quando estamos comendo.

A estimulação é boa.

Mas e se não for?

E se o que acontece quando nossa mente está com tédio é parte essencial para o funcionamento do nosso cérebro e crucial para nossa concentração e habilidade de pensar criativamente?

E se o nosso relacionamento com a distração está impedindo de vivermos nossa vida plenamente?

Em “Bored and Brilliant” (“Entediado e Brilhante”, em tradução livre), Manoush Zomorodi levanta essas discussões e investiga os novos hábitos tecnológicos que adquirimos nos últimos anos.

A autora mostra no livro por que a chave para mudar tudo pode ser separar um tempo para não fazer nada.

“Bored and Brilliant” é um guia prático para trazer a criatividade de volta para o seu dia-a-dia e acordar sua produtividade de uma vez por todas.

O que você achou da palestra de Manoush Zomordi?

Se você achou o conteúdo interessante, por favor, compartilhe com seus amigos e ajude-nos a divulgar boas ideias nas redes. Obrigado!

Leia:  Quando se achava que não havia mais nada para se descobrir sobre o corpo humano, descobriram isso!