in , ,

Já pensou em se livrar do estresse e da ansiedade apenas trabalhando com as mãos? É possível.

Convidar alguém a “colocar a mão na massa” nem sempre significa um convite a trabalhos manuais.

A expressão, que nasceu da necessidade de se envolver com alguma atividade colocando suas próprias mãos para que se torne realidade, foi-se transformando ao longo do tempo e hoje é frequentemente utilizada apenas no sentido metafórico.

No entanto, apesar de muitas pessoas das novas gerações considerarem os trabalhos manuais algo rústico e sem muita utilidade no seu dia a dia, é por meio desse tipo de atividade que muitas pessoas têm superado problemas como estresse e ansiedade.

glass-473758_960_720

Você sofre de estresse ou ansiedade?

Se a sua resposta é sim, provavelmente você já procurou inúmeros métodos para se livrar dos sintomas incômodos que essas patologias do mundo moderno nos provocam.

Entre remédios, terapias e esportes, talvez tenha até tentado se inscrever em um curso de pintura ou se arriscado no bordado, mas será mesmo que você levou a sério o “poder” das suas mãos?

“O poder das minhas mãos?”, sim, foi isso mesmo o que você acabou de ler.

O grande obstáculo encontrado pelas pessoas ansiosas que buscam nos trabalhos manuais a fonte para sua recuperação e alívio do estresse do dia a dia é a sua própria mente.

Isso porque, na maioria das vezes, estamos tão acostumados com as cobranças constantes da rotina, das pessoas (e até da gente mesmo), que não nos permitimos criar sem perfeccionismo.

Começamos um desenho, mas queremos que ele seja perfeito.

Molhamos os pincéis na tinta, mas não antes de esboçar um modelo na tela a lápis. Chafurdamos os dedos na argila, mas não antes de nos certificarmos de que vamos esculpir exatamente aquele “vaso parnasiano” impecável. Por isso…


Recomendamos para você:

Letícia Flores

Written by Letícia Flores

Letícia, do latim "alegria". Redatora, professora e inventadora. Escreve e dá aulas de italiano por paixão; produz conteúdo por profissão. Que sorte a desta menina, não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pinguim viaja todos os anos para o RJ para agradecer brasileiro que salvou sua vida

18 fotos de recém-nascidos que não saíram como o esperado