Mente

9 teorias que provam que as crianças enxergam o mundo de forma diferente

Já está comprovado que a visão de mundo de uma criança se estabelece aos 11 anos de idade.

É a partir daí que elas se tornam capazes de avaliar o mundo como um adulto, solucionar problemas e até fazer planos para o futuro.

Antes disso, as crianças têm uma percepção totalmente diferente dos adultos.

Elas não têm experiência e conhecimento suficientes para entender como o mundo funciona e, por isso, possuem outro olhar.

Cientistas encontraram a verdadeira diferença entre a visão de adultos e crianças.

Veja abaixo como uma criança percebe o mundo em que vive.

1. Fantasias das crianças

crianças e adultos

Até certa idade, crianças pequenas não conseguem diferenciar fantasia e realidade. Por isso, elas têm certeza que os acontecimentos que inventam realmente existem.

Uma série de estudos mostraram que há uma linha muito tênue entre ficção e realidade na percepção de uma criança pequena, porque elas ainda não possuem o conhecimento entre o que é verdadeiro e o que é falso.

2. Ausência de pensamento abstrato

crianças e adultos

É fato que uma criança menor de 11 anos só consegue pensar na realidade presente e não tem capacidade para pensar de forma abstrata.

O psicólogo Rudolph Schaffer conduziu um estudo em que pediu a dois grupos de crianças para que encontrassem um local de seus corpos para colocarem um terceiro olho.

Todas as crianças de 9 anos do primeiro grupo apontaram para suas testas, porque seus olhos estão próximos do local.

Todas as crianças de 11 anos do segundo grupo, que conseguiam pensar de forma abstrata, mostraram outros lugares para seus terceiros olhos, como as palmas das mãos.

A justificativa é que poderiam ver o que está em suas costas.

3. Aprender idiomas

crianças e adultos

Crianças aprendem outros idiomas facilmente, enquanto adultos demoram mais.

Segundo especialistas, há uma caixa de ferramentas construída no cérebro humano que conecta todas as regras de sintaxe de todos os idiomas que existem.

Além disso, milhões de células cerebrais são responsáveis pela percepção de uma criança e a reprodução da fala, o que constrói sistemas de condução complicados.

Tais sistemas se desenvolvem completamente quando uma pessoa completa 10 anos. Por isso, quanto mais velho você for, mais difícil será para aprender um novo idioma.

4. Permanência de objetos

crianças e adultos

Crianças menores de 1 ano acreditam que um objeto que não podem ver, desaparece para sempre.

Jean Piaget desenvolveu mais tarde uma teoria sobre a permanência de objetos e provou que o conhecimento da existência de um objeto além de seu campo de visão só chega com a idade.

Uma criança pequena é muito inexperiente para compreender que o objeto que ela não vê continua existindo.

5. Identificação

crianças e adultos

Cientistas afirmam que bebês recém-nascidos não conseguem distinguir rostos por inexperiência.

Além disso, a visão deles não é focada e eles enxergam os objetos de maneira embaçada.

Até os 6 meses, os bebês são incapazes de distinguir os rostos das pessoas. Mas, aos 9 meses, eles se adaptam e começam a distinguir os rostos das pessoas que conhecem e das que não conhecem.

Leia:  Quer ser muito mais feliz? A ciência diz para sempre fazer essas 8 coisas

Quando completam 1 ano, suas visões se tornam focadas e podem enxergar os objetos melhor e com cores.

6. Reversibilidade

crianças e adultos

Crianças não têm senso de reversibilidade.

Se você colocar dois copos com água de tamanhos diferentes em frente à uma criança e colocar a água de um copo alto em um mais largo, ela vai acreditar que o volume de água aumentou.

Até os 7 anos, as crianças acreditam que se o formato do copo mudou, o conteúdo também mudou. As crianças não conseguem combinar duas dimensões, como a altura e a largura até uma certa idade.

Sua atenção está só em uma delas.

7. Desenhos

crianças e adultos

É um fato conhecido que as funções motoras de uma criança ainda não estão totalmente desenvolvidas. Por isso, desenham pior que um adulto, pois não conseguem segurar um lápis de forma estável.

Durante um novo estudo, foi pedido a crianças de 5 a 9 anos que desenhassem uma xícara com cabo.

Mesmo não enxergando o cabo em uma xícara real colocada em frente a elas, todas as crianças menores de 7 anos adicionaram-no em seus desenhos.

As crianças acima de 7 anos desenharam uma xícara sem o cabo.

Os especialistas concluíram que essa é a diferença principal entre uma criança e um adulto: enquanto a primeira adiciona elementos que não enxergam, mas que deveriam estar lá, o segundo desenha exatamente o que vê.

8. Compreensão de moral

crianças e adultos

A compreensão de moral por uma criança é diferente de um adulto.

Adultos sabem a diferença entre o bem e o mal, além de saberem as normas aceitáveis que violam de tempos em tempos.

Para as crianças, tudo relacionado à moral é mais fácil.

Inicialmente, o comportamento de crianças pequenas é baseado na intenção de evitar castigos. Crianças um pouco maiores entendem a moral como um tipo de comportamento pelo qual são recompensadas.

Cada estágio do crescimento forma argumentos morais internos que a maioria dos adultos aderem.

Em um estudo, perguntaram para as crianças: “o que é pior: quebrar um par de óculos de propósito, ou dois pares por acidente?”

A maioria respondeu que a pessoa que quebrou os dois é pior, pois o estrago foi maior.

9. Teoria da mente

crianças e adultos

A teoria da mente se refere à compreensão de que nem todas as pessoas possuem informações e experiências que nós temos.

Para as crianças, essa forma de pensar chega com a idade.

Isso foi descoberto durante uma experiência chamada de Sally Anne.

Há dois adultos e uma criança em uma sala. Quando um adulto deixa a sala, o outro esconde um brinquedo.

Quando o primeiro adulto volta, perguntam à criança onde esse adulto deveria procurar o brinquedo.

A experiência mostrou que crianças menores de três anos, apontaram para onde o brinquedo estava, sem se atentarem ao fato de que o adulto não sabia onde o brinquedo estava escondido.

Depois de ler tudo isso, sua percepção sobre crianças mudou? Você concorda com essas teorias? Comente!

Fonte: brightside.me

Compartilhe essa história com seus amigos que têm filhos.