Mente

Como reagir calmamente a situações estressantes do dia a dia

Os navios não afundam devido à água que os rodeia; os navios afundam devido à água que entra neles. Não deixe o que está acontecendo em torno de você entrar em você e lhe pesar.” ~ Autor desconhecido.

Trabalhar em um escritório exige que passemos mais tempo com nossos colegas de trabalho do que com qualquer outra pessoa em nossa vida pessoal.

A forma como esses colegas de trabalho atuam pode ter um grande impacto sobre nós.

A profissional de marketing Debra Happe, por exemplo, começou a se incomodar com uma equipe que precisava usar o telefone o dia todo ao lado da sua mesa.

Ela não se conformava com como aquelas pessoas podiam trabalhar daquela maneira – era estressante.

Ela podia ouvir todas as conversas enquanto trabalhava e ficou impressionada com a delicadeza que tinham em lidar com conversas difíceis.

Isso exige talento e sinceridade.

No entanto, num determinado dia, um dos seus colegas entrou no escritório desabafando suas angústias de forma raivosa e não muito gentil.

Como reagir calmamente ao estresse

Apesar de Debra achar uma reação natural, depois que ele saiu ela percebeu que ninguém mais tinha tido a sua mesma percepção.

Então, ela escutou seus colegas criticarem o desequilíbrio e a falta de profissionalismo daquele rapaz.

Questionaram, inclusive, seu valor como membro da equipe.

“Uau!” – ela pensou.

Debra sabia que tinha se comportado daquela mesma maneira muitas vezes no passado.

Depois disso, começou a perceber como reagia a situações difíceis.

Reparou que quando seus colegas se queixavam do trabalho, dos chefes, dos próprios colegas, ela assumia esses sentimentos.

Também enxergou que poderia reagir de forma semelhante à daquele rapaz quando estava frustrada com algo que eu não conseguia controlar.

E isso não se restringe ao escritório de trabalho. Podemos observar nossas reações em casa também.

Por exemplo, se o namorado dela fizesse um comentário sobre outra mulher, ela tinha vontade de gritar, derrubar as portas e falar sobre o quanto o comentário a tinha ferido.

Esse comportamento a fez parecer pequena e fora de controle. Ela não disse nada na primeira vez, mas depois da vigésima, ela não queria mais lidar com isso.

Por que explodimos?

Se prestarmos atenção, veremos que essa reação acontece quando estamos nos sentindo vulneráveis e assustados.

Mas como reagir de forma mais calma?

As situações que Debra presenciou em seu escritório a ajudaram a perceber que ela estava se espelhando naquilo que via, sem questionar nem refletir.

Por isso, ela resolveu dialogar com seus amigos e chegou a algumas dicas de como reagir de forma calma aos estresses do cotidiano.

Como reagir calmamente ao estresse

1. Treine-se para notar seus sentimentos físicos em situações estressantes

Observe quando você começa a suar, sentir-se agitado, com aperto no peito, fora de si mesmo ou qualquer outro desconforto físico.

Quanto mais você percebe como se sente fisicamente depois de alguém ter dito algo perturbador, por exemplo, melhor você poderá entender e alterar suas reações.

Com o tempo, você será mais capaz de sentir quando algo está te afetando emocionalmente, percebendo suas próprias manifestações físicas.

À medida que você os sente, visualize os sentimentos físicos negativos que correm pelo seu corpo saindo pela ponta dos seus dedos.

Por exemplo: seu colega de trabalho obtém grandes elogios por um projeto o qual você deu início. Você não recebe nada.

Note que sua respiração pode começar a acelerar e reconheça que essa reação física é um sinal.

Experimente, então, visualizar sua respiração abrandando e a agressividade escorrendo pelo seu corpo até sair pelos dedos dos pés.

2. Esteja ciente quando as pessoas ao seu redor começam a ficar chateadas

Uma vez que você se treinou para perceber seus sentimentos físicos, olhe externamente para como os outros reagem fisicamente.

Seu colega de trabalho está falando mais rapidamente, ou ele talvez esteja com o rosto corado?

Ele começou a reorganizar objetos da sua mesa, ou ela está mexendo na sua cadeira?

À medida que você se torna consciente de comportamentos físicos que podem sinalizar agitação e desagrado, você pode se treinar para deixar esse sentimento negativo com a pessoa, não assumi-lo para si.

Leia:  O segredo para fazer seus finais de semana parecerem mais longos

Esse sentimento negativo é deles. Deixe-os tê-lo. Não se envolva.

Visualize o sentimento negativo dentro de uma caixa e deixe-a no colo da outra pessoa.

Inspire profundamente pensando: “Deixe de lado”, então, exale lentamente penando “váááá”. Essa é uma técnica calmante instantânea.

Eventualmente, Debra usa essa técnica da “caixa” no seu relacionamento com seu namorado. Se ele está chateado com ela, ela avalia rapidamente se agiu de forma insegura, debochada ou julgadora.

Se a resposta for positiva, ela se desculpa. Mas se isso não for verdade, então é possível ver que aquela “caixa” deve ficar com ele, pois é sobre como ele está se sentindo consigo mesmo.

Você pode tentar ajudar o outro a descobrir como está se sentindo, falando calmamente e dando espaço para o outro falar – sendo um bom ouvinte.

Mas você não precisa aceitar os sentimentos do outro como seus.

3. Passe mais tempo em silêncio e sozinho(a)

Outra técnica para acalmar a forma como você reage a situações difíceis é construir seu espaço de silêncio, livre de estresse.

Visualize o ar que o rodeia quando você está calmo, pensando em coisas positivas. Dê a esse ar calmo uma cor – azul bebê, rosa, verde ou o que for.

Depois, veja esse ar em um grande banco.

Teste cada uma das diferentes quantidades de tempo de silêncio.

Talvez para você, dez minutos por dia seja o suficiente. Talvez até 30 minutos de reflexão silenciosa todos os sábados seja suficiente para acalmá-lo durante toda a semana.

Experimente você mesmo.

Durante séculos, o clero, as freiras e os leigos praticaram silêncio. Quando está quieta, uma pessoa pode refletir, recarregar-se e centralizar-se.

Cada vez que você fica em silêncio, lembre-se: você está depositando um ar mais silencioso e calmo no seu “banco” de serenidade.

4. Conecte-se com a natureza diariamente

Como reagir calmamente ao estresse

Ao ouvir a calma, observe a brisa natural e visualize-a levando as emoções pesadas embora.

Você começará a se sentir fisicamente mais leve à medida que a brisa sopra seus problemas.

Os pesquisadores encontraram uma diminuição na frequência cardíaca e nos níveis de cortisol em indivíduos da floresta quando comparados aos da cidade (conforme relatado na Medicina Ambiental e na Medicina Preventiva).

Sinta a natureza através dos seus poros para que você possa levá-la com você para a sala de reuniões, com luzes fluorescentes e ar pesado.

5. Repense suas preocupações

O jornal podem difundir muitos pensamentos negativos que nos levam à preocupação.

Quando isso se torna proeminente, primeiro anote os fatos concretos da situação.

O que eu sei com certeza?

São apenas fatos. Por que eles são perturbadores para você? Escreva.

Depois de ver o pior lado da sua preocupação, pense nas soluções que estão disponíveis para você.

Você já esteve em uma situação em que você se sentiu desamparado ou preocupado?

Lembre-se de como você conseguiu superar essa situação, e que você encontrará uma solução para a preocupação de hoje também.

Se você não tem tempo para escrever, use essas mesmas técnicas em seus pensamentos.

6. Mantenha seus músculos fortes

Todos ouvimos que liberamos endorfinas quando exercitamos.

Deixe isso ser um lembrete para usar conscientemente esses hormônios quando você precisar.

É bem mais fácil praticar um exercício físico quando focamos no seu benefício emocional.

Por exemplo, ao praticar Yoga ou Pilates, o alongamento, o movimento muscular lento e o fluxo sanguíneo para os músculos, todos trazem nossos pensamentos para o presente.

Concentrar-se no seu movimento do corpo é uma ótima maneira de deixar o que quer que esteja perturbando sua mente.

Debra levou quatro décadas para perceber que eu reagia impulsivamente devido a um ambiente familiar destrutivo, mas anseia pelas próximas quatro décadas para poder praticar uma nova maneira de reagir.

Se nós fomentamos a calma em nossas vidas, quando uma situação difícil acontecer, teremos ferramentas e técnicas para reagir com calma e sabedoria.

Estas dicas te ajudam? Comente!

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Tiny Buddha escrito por Debra Happe.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe estas dicas com seus amigos!