Mente

7 coisas para fazer fora do trabalho que duplicarão sua produtividade

Eu gostaria de confessar uma coisa.

Até recentemente, eu ficava com inveja rapidamente – quando via alguém fazendo o que eu queria ou “vivendo o sonho”. (Obrigado Instagram.)

Mas eu não estou sozinho, estou? Mesmo as pessoas mais satisfeitas não podem conter a sensação ocasional de inveja quando alguém se dá melhor que elas.

Comparar-se com outra pessoa é tão ruim quanto fumar cigarros. Todo mundo sabe disso.

Mas eu não conseguia me conter. Eu comparava estilo de vida deles com o meu e fiquei sabendo por que a “fama que eu merecia não veio para mim”.

Nesse estado de espírito, resolvi trabalhar duro e melhorar minha vida.

No entanto, o ciúme voltava rapidamente. Eu voltava ao meu antigo ‘eu’ mais rápido do que um criminoso que acabou de sair da prisão. A “determinação” estava esquecida sob um estoque de mil outras promessas.

Você sente o mesmo? Então deixe-me dizer porquê. Quando olhei mais de perto, descobri exatamente por que isso acontece.

Acontece que eu estava olhando para as pessoas bem-sucedidas de maneira errada.

De que eu realmente deveria sentir inveja

O que fazer fora do trabalho para duplicar sua produtividade

Eu sentia inveja do sucesso das pessoas bem-sucedidas. Mas eu convenientemente ignorei os esforços delas. Elas dormem menos, fazem vários sacrifícios, aparecem todos os dias para fazer a mesma coisa durante anos.

De um lado, havia pessoas bem-sucedidas obrigando-se a fazer o que tinham que fazer.

Do outro lado, havia eu, reclamando que não conseguia encontrar tempo após o trabalho, que o trajeto diário para o trabalho era exaustivo, meu chefe era um idiota, meus colegas eram maldosos, o trabalho não era desafiador o suficiente – as probabilidades estavam contra mim.

Mas a verdade é que as pessoas bem-sucedidas não tinham uma vida melhor que a minha. Na verdade, muitas delas enfrentaram probabilidades muito piores.

O que eu deveria ter ficado verde de inveja era seu esforço e atitude disciplinada em relação ao trabalho.

Como encontravam (encontram) tempo para se esforçar e chegar onde estão?

O segredo dos resultados compostos

O que fazer fora do trabalho para duplicar sua produtividade

Imagine gastar seu dinheiro suado em coisas que você quer, mas não precisa. Em breve, você se cansará dessas coisas. Então, você gastará mais dinheiro em outras coisas que prendem sua atenção efêmera.

E o ciclo continua…

Agora imagine investir o mesmo dinheiro em uma carteira que lhe dará retornos consistentes nos próximos dez anos.

Qual opção vai te deixar melhor depois de dez voltas ao redor do sol? Qual opção fará seu dinheiro crescer?

Como “tempo = dinheiro” é uma equação comum, vamos substituir o dinheiro pelo tempo.

A maioria das pessoas passa suas horas de trabalho – das 10h às 19h – em…bem… trabalho. Elas passam o tempo restante – das 19h às 10h – preparando-se para o trabalho.

A preparação inclui relaxamento mental, como assistir à Netflix, ver o Instagram, verificar suas notificações ou tudo isso.

Ou, porque elas podem trabalhar 24/7, elas gastam esse tempo trabalhando também (ou pensando nisso).

Fins de semana são ainda piores. Elas acordam tarde, assistem às últimas temporadas, esperam na fila para comer em lugares lotados apenas para postar fotos no Instagram…talvez completam tarefas e encontram os amigos no sábado.

Mas no domingo, elas estão cheias de medo sobre um dia que ainda está a mais de doze horas de distância.

Não é de admirar que a tarde de domingo seja um dos períodos mais improdutivos para a maioria das pessoas. Não acredita em mim? Dê uma olhada nessa hashtag.

Em seu livro, “Flow”, o pesquisador Mihaly Csikszentmihalyi (Me-hi-ee Cheek-sent-me-hi-ee) escreveu,

Se deixados por conta própria e programação genética, a maioria das pessoas faz coisas como se preocupar com as coisas ou assistir televisão”.

Mas as pessoas bem-sucedidas são diferentes. (Claro que são!)

Elas otimizam seu tempo no trabalho. Mas elas não deixam o “trabalho” ou a “vida” atrapalhar seus objetivos pessoais. Para elas, o tempo fora do trabalho vale seu peso em ouro.

Elas criam uma regra para investir tempo no que é importante para elas todos os dias – autoaperfeiçoamento. Isso, quando combinado ao longo do tempo, aumenta em grandes proporções.

Quando eu comparei minha rotina com a delas, descobri por que a “fama que eu merecia não veio para mim”.

Fora do trabalho, passei horas entorpecendo a mente assistindo televisão. Eu ficava assistindo reprises de partidas de críquete até que eu as aprendesse de cor. Se não assistia, sentia um vazio.

Eu posso não gostar de Netflix ou Game of Thrones, mas senti como se fosse casado com a TV.

O resultado? Eu nunca encontrei tempo para fazer o que eu pensava que deveria estar fazendo.

Para a maioria das pessoas, o seu dia de trabalho é o seu “dia”. Suas rotinas giram em torno de oito horas, das 10h às 19h (30%). E quando esse dia acaba, elas ficam sem nada.

Suas mentes se recusam a se envolver em uma busca significativa e, em vez disso, correm para os braços acolhedores de Jadis, a Feiticeira Branca – gratificação instantânea.

Se você entregar 70% do seu dia aos 30%, como você chegará perto de seus objetivos?

Tudo bem. Chega de advertências. Chega de falar sobre a doença. Agora vamos nos concentrar no remédio.

Lembre-se de como você saia para brincar depois da escola quando criança. Brincar na rua não era “construtivo”. (Bem, tecnicamente era, mas o que você sabia na época?)

No entanto, refrescava sua mente e permitia que você se concentrasse nos seus estudos posteriormente.

Considere o tempo depois do trabalho a sua hora de brincar.

Aqui está como eu uso e você também pode usar.

1. Diga a si mesmo “não estou cansado”

Você já se sentiu tão exausto depois de terminar o trabalho que não sentia vontade de fazer nada?

Sim, todos nós temos dias horríveis, que nos sugam o sangue. Mas sejamos honestos. Esses dias são poucos e distantes entre si.

Com que frequência sua mente reclama de não ter mais energia quando você precisa ir à academia, ou fazer alguma coisa que ofereça retornos positivos a longo prazo?

Agora compare isso com a energia com a qual você inicia o aplicativo da Netflix ou se veste para ir ao cinema. Você se sente cansado? Ou renovado?

A questão é a seguinte.

Sua mente não está realmente “cansada” depois do trabalho. Em vez disso, ela anseia por mudança. O único descanso necessário são sete horas de um bom sono.

Eu termino o trabalho às 18h e começo meu trajeto de volta para casa. É quando digo a mim mesmo que não estou cansado, não importa como foi o dia.

Na verdade, quanto mais difícil o dia, mais liberto me sinto, porque agora posso me concentrar em mim mesmo. Eu planejo como vou investir meu tempo – o que farei na academia e como vou passar as últimas duas horas da minha noite.

Quando chego em casa, minha mente já está ansiosa para dar sequência.

Prepare-se para uma mudança que irá estimular sua mente. Lembre-se de que você não está cansado, que o tempo que você investe agora produzirá bons resultados a longo prazo.

E então vá para o próximo passo.

2. Hackeie seu tempo de trajeto para o trabalho.

Você discorda da ideia de um dia das 7h às 10h porque você gasta de uma a três horas no trajeto para o trabalho todos os dias? Eu sinto a sua dor. Eu passei pela mesma coisa.

Mas como eu uso o meu tempo de viagem é o que faz a diferença.

Eu posso assistir filmes ou percorrer as mídias sociais. Mas isso só me deixa mal-humorado, rabugento e irritado. Ou eu posso ouvir um podcast, ler um livro ou assistir às palestras do TED. Essas ações aumentam minha criatividade.

Eu prefiro fazer a última.

Há vezes em que não viajo por transporte público ou táxi. Em vez disso, uso minha moto. Nessas horas, não consigo consumir conteúdo. Então, uso esse tempo para treinar minha mente para se concentrar.

Eu reflito sobre uma questão específica e procuro uma resposta profunda. Ou penso no que quero adicionar no meu próximo artigo.

Leia:  7 mentiras estúpidas e destrutivas que a depressão nos conta

Em minutos, minha mente de macaco salta de um galho para outro. Ou eu me pego pensando sobre o mesmo ponto várias vezes. Isso significa que estou fugindo do foco ou estou preso em um loop.

Quando eu percebo isso, eu, sem julgamento, trago minha mente de volta para o pensamento importante e anoto esses pensamentos em um diário quando chego ao meu destino.

Os efeitos dessa ação são dois.

Um, eu não temo o trânsito porque minha mente se concentra em algo que gosta, ao invés de reagir a circunstâncias externas. Dois, eu fortaleço minha capacidade de me concentrar por longos períodos de tempo.

3. Planeje suas horas fora do trabalho

O que fazer fora do trabalho para duplicar sua produtividade

Eu planejo como vou passar o tempo depois do trabalho com a mesma intensidade que planejo meu trabalho.

Mas isso não soa contraproducente? Não é melhor ser espontâneo com suas horas de folga, ser seu próprio patrão?

Você está certo. Parcialmente.

Quando deixo cada momento decidir minhas ações, desfruto do livre-arbítrio. Eu posso escolher entre trabalhar em um projeto paralelo, aprender algo novo ou malhar.

Mas essas decisões momento a momento prejudicam minha força de vontade e drenam o que resta após o dia de trabalho. O resultado? Eu acabo me colocando na frente do notebook ou fico vagando pelas mídias sociais a noite toda.

Eis algumas más notícias: quanto mais você não faz o que acha que deveria, mais compromete sua força de vontade. Então, quando você precisa fazer algo mentalmente exigente, a força de vontade não aparece.

Agora aqui estão as boas notícias: Você não precisa gastar três horas por noite trabalhando em algo que exige sua energia mental.

Aplique a Regra 60/30, criada por Thomas Oppong. Dedique apenas 60 minutos da sua noite para fazer um trabalho significativo pelos próximos 30 dias.

Não parece difícil, não é?

Planeje como você gastará 60 minutos da sua noite pela manhã. Lembre-se da sua agenda em seu trajeto de volta para casa.

Então você reservou 60 minutos para fazer algo significativo. A próxima pergunta é: O que você vai fazer?

4. Escolha um hobby

Ter uma paixão é uma coisa superestimada. Grosseiramente.

É verdade que pessoas como Warren Buffett e Josh Waitzkin descobriram o que gostavam no início da infância (sim, Elon Musk também). Mas para os 99% restantes, as coisas não são tão simples assim.

A maioria das pessoas ainda vai de uma tarefa para outra, sem objetivos.

Então, se você não sabe o que quer fazer, tudo bem. Escolha um hobby. Programar, desenhar, tocar um instrumento musical, cozinhar – qualquer coisa que agradar você.

Mantenha um diário para anotar o que você faz e como se sente ao fazê-lo. Em seguida, faça mais do que é gratificante, mesmo que exija esforço e reduza as ações que não estimulam as células cerebrais o suficiente.

Certo.

Reservar 60 minutos por dia para fazer algo significativo. Feito.

Escolher um hobby. Feito.

Quando você começar a trabalhar em sua atividade significativa, encontrará o maior inimigo do autoaperfeiçoamento: a distração.

5. Desligue as distrações

Eu sei o que devo fazer. Mas eu já te disse o quanto amo a TV. Sem esquecer da navegação automática pela internet, que é tão natural para mim quanto escovar os dentes.

Eu sou um ser humano. Então eu superestimo minhas habilidades para não ceder às distrações. E antes que eu perceba, perdi 45 minutos do tempo que eu tinha reservado para trabalho significativo, em distrações.

Então eu tomei medidas drásticas.

Enquanto escrevo, desligo a internet. Se eu precisar usá-la, ativo o aplicativo SelfControl para bloquear sites de mídia social. Eu também desmonto minha conexão de TV. Se eu quiser assistir, devo montar primeiro.

Essa é uma tarefa árdua em si.

Tais ações dão à minha mente o sinal de que a tarefa em que devo trabalhar é uma prioridade. E como não tenho acesso à distrações, posso dedicar mais esforço a ela.

O que você fará para se livrar de suas distrações?

6. Trabalho profundo

O que fazer fora do trabalho para duplicar sua produtividade

Eu tinha uma colega de classe que estudava menos que eu. Mesmo assim, ela consistentemente era a melhor da classe, enquanto eu ficava no meio.

Se você não consegue se concentrar profundamente no que faz, todo o seu trabalho é inútil.

Quando você tem pouco para mostrar depois de gastar muito tempo em algo, você se sente desencorajado. Você começará a pensar que é melhor fazer outra coisa. É natural.

Mas quando você está feliz com o que consegue em um curto espaço de tempo, pensa: “Imagino o que posso fazer se dedicar mais tempo a isso”.

O trabalho profundo é difícil no começo. Tipo, muito difícil. Você prefere ficar no caminho do tráfego que se aproxima.

Mas com o tempo, sua mente começa a cooperar. Então, essa cooperação se espalha em seu trabalho diário e aumenta seu senso de realização em cada tarefa – no trabalho e fora dele.

A intensidade com a qual você trabalha é muito mais importante do que o tempo que você dedica. O tempo gasto nunca será um substituto para a intensidade.

(Dica: Para fortalecer seu foco, pratique meditação, mesmo se você for ateu. Concentre-se em sua respiração por dez minutos. Bloqueie outros pensamentos. Com o tempo, isso vai aguçar sua intensidade de foco.)

7. Reflita sobre o seu dia

Eu já vi muitas pessoas dizerem que fazem algo com frequência.

Elas leem 30 livros em 30 dias, mas não lembram sequer uma palavra. Eles tocam um cover no violão perfeitamente, mas têm dificuldades para compor músicas originais.

Essas pessoas podem passar horas fazendo coisas, mas elas podem muito bem fazer qualquer outra coisa.

A reflexão diária é parte do arsenal de todas as pessoas bem-sucedidas. As pessoas bem-sucedidas refletem sobre coisas importantes, como a direção em que estão indo, como entender suas circunstâncias, como eles podem melhorar e muito mais.

Passe os últimos dez minutos do seu dia com um diário. Reflita sobre suas ações, o que você fez bem e o que poderia ter feito melhor.

Os especialistas recomendam colocar seu smartphone longe durante este período. Mas se você não conseguir fazer isso no começo: que vergonha!

Não, estou brincando. Você pode fazer anotações em aplicativos como Evernote e Reflectly.

“Você pode aprender muito com as ideias que você coloca em sua mente a partir do mundo externo, mas você pode, sem dúvida, aprender ainda mais, quebrando-as e fazendo melhor sentido dos pensamentos que já vagam pela sua cabeça.” — Zat Rana

Bringing it Home

Eu percebi que sentia inveja de pessoas de sucesso porque queria fazer o que elas faziam. Mas ficava pensando: “Meu trabalho nunca será bom o suficiente”.

Agora percebo o quão errado eu estava. Eu poderia olhar para os seus esforços e disciplina e aprender com elas. Eu poderia transformar minha inveja em inspiração e determinação.

Citações do Instagram dizem para você pensar grande ou ir para casa. Eu tenho vindo para casa. Muito. Porque quando eu pegava algo que gostava, eu pulava no fogo sem um traje de proximidade de fogo, e me queimava. (Eu sei, não muito inteligente.)

Mas eu não tenho que ir para casa se eu não pensar grande. Eu não tenho que me tornar de classe mundial em nada. E tudo bem. Eu só tenho que ser um por cento melhor do que no dia anterior.

Trace metas, mas não precisa esculpi-las em pedra. A vida tem uma forma divertida de dar voltas de maneiras que você nunca esperou.

Continue andando. Confie no processo. O caminho acabará se revelando.

Como você gasta seu tempo fora do trabalho ditará o que você vai conseguir em sua vida. Você vai fazer o que for preciso para chegar onde quer?

E você? Como gasta seu tempo fora do trabalho? Comente!

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em The Ladders escrito por Vishal Kataria.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe este texto com seus amigos!