Mente

Entenda porquê as mídias sociais não são saudáveis para os adolescentes

Se você passou pelo Ensino Médio, pode ter percebido o que vê a psiquiatra integrativa Victoria L. Dunckley: coisas estranhas parecem acontecer com o nosso cérebro logo no primeiro dia dessa fase escolar.

Os objetivos do jovem nesse momento podem ser resumidos da seguinte forma:

– Ser engraçado a todo custo. (Por isso as brincadeiras bobas no banheiro, falas inadequadas durante a aula, e a sensação de “tudo o que preciso é ser popular”);

– Concentrar-se em si mesmo – suas roupas, seu nariz, seu corpo e seus cabelos;

– Experimentar coisas novas. Eles estão começando a vestir uma identidade, tentando ver o que se encaixa. Eles são impulsivos e vivem altos e baixos na busca pela sua independência.

Essas mudanças também se refletem nos pais.

Nesse momento, parece que tudo o que os pais fazem ou falam é errado.

Como lidar com essa fase?

Redes sociais na adolescência

Victoria começa sugerindo que se evitem as seguintes frases:

“Se você não pode dizer nada de bom, não diga nada!”
“Quantas vezes eu tenho que te falar isso?”
“Pare de mexer nessa garrafa!”
“Pare de arrotar o alfabeto!”
“Você está agindo como uma criança de 2 anos”
“O que você estava pensando?”

É difícil, sim. Muitas vezes os pais estão exaustos, e a psiquiatra entende isso muito bem, já que tem dois filhos no Ensino Médio.

Os pais também reagem por impulso, respondem com imaturidade e diante disso, acabam recorrendo ao smartphone.

Essa pequena decisão traz à tona o universo das redes sociais.

Mas porquê elas podem ser prejudiciais aos adolescentes? Confira alguns motivos!

Redes sociais na adolescência

1. A mídia social não foi projetada para eles

O córtex frontal subdesenvolvido de um jovem não pode controlar a distração nem as tentações que acompanham o uso de redes sociais.

Por isso, eles usarão as mídias sociais de forma inadequada até serem mais velhos para poder controlar esses impulsos.

2. A mídia social é uma tecnologia de entretenimento

Ela não torna seu filho mais inteligente ou mais preparado para a vida real, muito menos para futuros empregos ou para um desenvolvimento social saudável.

É uma mera plataforma de entretenimento e marketing

3. A mentalidade “mais é melhor” dos adolescentes tem uma correspondência perigosa nas mídias sociais

Eles realmente têm 1.456 amigos? Eles realmente precisam estar ali nove horas por dia?

As mídias sociais permitem (e estimulam) um exagero de conexões entre “amigos” invadindo suas vidas.

4. As redes sociais viciam

Assim como o vício do videogame, o uso precoce das redes sociais pode configurar futuros padrões e hábitos de dependência.

5. As mídias sociais inibem a socialização real

O trabalho de se socializar cara a cara com colegas exige uma habilidade que não pode ser conquistada se os adolescentes interagirem com seus amigos apenas por meio de um smartphone.

6. As mídias sociais podem fazer com que se perca a conexão com a família

Uma vez que o cérebro cognitivo está sendo formado, a necessidade de seu filho estar ligado a sua família é mais importante do que nunca!

Certifique-se de que vocês estão realmente ligados.

Da mesma forma que eles precisam relacionar-se com seus amigos, eles também precisam de uma relação familiar saudável.

7. O uso das mídias sociais representa um potencial perdido para os adolescentes

Embora se possa argumentar que existem certos benefícios das mídias sociais para os adolescentes, os custos são muito elevados durante a adolescência.

Leia:  As 10 principais razões para fazer exercícios (e não é perder peso)

Eles desperdiçam muito facilmente seu tempo no mundo virtual enquanto poderiam estar praticando uma atividade física, conhecendo pessoas e até mesmo estudando.

Como diminuir a velocidade dos adolescentes?

Redes sociais na adolescência

Primeiro, precisamos desacelerar e repensar o que estamos permitindo que nossos filhos façam.

Precisamos entender o mundo das mídias sociais e como usá-lo de maneira eficiente.

1. Retarde o primeiro contato

Quanto mais demorar o contato do jovem com as redes sociais, mais maduro ele será para se relacionar nelas.

2. Siga suas contas

A privacidade das mídias sociais é uma mentira: nada é privado no mundo digital e não deve ser privado para os pais.

Certifique-se de que as configurações de privacidade estejam no lugar, mas esteja consciente de que essas configurações podem lhe dar uma falsa sensação de segurança.

3. Incentive o seu adolescente a conversar no privado

Principalmente se eles não quiserem se sentir invadidos por você.

4. Crie contas familiares

Crie contas da família toda em vez de contas individuais dos adolescentes.

Este é um ambiente de mídia social mais seguro.

5. Permita o seu uso apenas em telas grandes

Se seu filho usar as redes sociais em computadores em vez de smartphones, eles vão usá-las com menos frequência.

6. Seja rigoroso(a) com o tempo de uso

Você sabe quanto tempo o seu filho gasta nas redes sociais por dia?

Esteja ciente disso e reduza esse tempo.

Os adolescentes ficam, em média, cerca de nove horas por dia conectadas às mídias sociais.

Em vez disso, defina um tempo menor para o seu filho verificar suas mídias sociais.

7. Planeje os momentos ‘cara-a-cara’ com seus amigos

Lembre-se de que eles não precisam de 842 amigos.

Ter de quatro a seis amigos próximos é o suficiente para um desenvolvimento social saudável.

Ajude-os a planejar esses encontros, como uma festa em que os celulares são deixados numa gaveta, uma noite de cinema, boliche, jogos de tabuleiro, pizza ou até mesmo fazer uma fogueira.

Eles desejam essas reuniões sociais, então é importante encorajá-los e ajudá-los a promover esses encontros.

8. Gastem mais tempo real (não-tecnológico) juntos

É fácil manter-se distante deles: os adolescentes podem ser irritantes!

Mas agora é o momento em que eles mais precisam da sua presença.

Seu filho precisa se sentir em casa e deixar o drama de seu mundo social para trás por algumas horas.

Diga que eles são importantes para a família. Eles desejam esses momentos para se desconectarem, ou fazerem planos e serem incentivados dentro de casa.

9. Não dê ao smartphone todo o poder

Ajude os adolescentes a escolherem formas mais saudáveis ​​de entretenimento.

Eles têm o resto de suas vidas para serem entretidos pelas mídias sociais, mas apenas um tempo limitado com você.

Os conselhos da profissional foram úteis pra você? Comente e deixe a sua opinião!

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Psychology Today escrito por Victoria L. Dunckley.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe este conteúdo com seus amigos!