Mente

Domine apenas uma coisa de cada vez (é o que diz a ciência)

Muitas pessoas, inclusive eu, têm várias áreas da vida que gostariam de melhorar.

Por exemplo, eu gostaria de alcançar mais pessoas com minha escrita, levantar pesos mais pesados ​​na academia e começar a praticar a plenitude de forma mais consistente.

Essas são apenas algumas das metas que considero desejáveis ​​e você provavelmente tem uma longa lista.

O problema é que, mesmo que estejamos comprometidos em trabalhar arduamente em nossas metas, nossa tendência natural é voltar aos velhos hábitos em algum momento.

Fazer uma mudança permanente no estilo de vida é realmente difícil.

Recentemente, me deparei com alguns estudos de pesquisa que (talvez) tornarão essas mudanças difíceis no estilo de vida um pouco mais fáceis.

Como você verá, no entanto, a abordagem para dominar muitas áreas da vida é um pouco contraditória.

Muitas boas intenções

Domine uma coisa de cada vez

Se quiser dominar vários hábitos e cumpri-los para sempre, você precisa descobrir como ser consistente. Como pode fazer isso?

Bem, aqui está uma das descobertas mais robustas de uma pesquisa em psicologia sobre como realmente dar sequência em suas metas:

A pesquisa mostrou que você tem 2x a 3x mais chances de manter seus hábitos se fizer um plano específico para quando, onde e como você irá realizar o comportamento.

Por exemplo, em um estudo, cientistas pediram que as pessoas preenchessem esta frase: “Durante a próxima semana, eu farei pelo menos 20 minutos de exercícios vigorosos no [DIA], às [HORA DO DIA], em [LUGAR]”.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas que preencheram esta frase tinham 2x a 3x mais chances de se exercitar do que um grupo de controle que não planejava seu comportamento futuro.

Os psicólogos chamam esses planos específicos de “intenções de implementação” porque afirmam quando, onde e como você pretende implementar um comportamento específico.

Esta descoberta está bem comprovada e foi repetida em centenas de estudos em uma ampla gama de áreas.

Por exemplo, descobriu-se que as intenções de implementação aumentam as chances de as pessoas começarem a se exercitar, começar a reciclar, continuar estudando e até parar de fumar.

No entanto (e isso é crucial para entender) a pesquisa de acompanhamento descobriu que as intenções de implementação só funcionam quando você se concentra em uma meta de cada vez.

Na verdade, os pesquisadores descobriram que as pessoas que tentaram realizar múltiplas metas estavam menos comprometidas e tinham menor probabilidade de sucesso do que aquelas que se concentravam em uma única meta. [1]

Isso é importante, então deixe-me repetir: desenvolver um plano específico para quando, onde e como você vai se ater a um novo hábito aumentará drasticamente as chances de que realmente siga adiante, mas somente se você se concentrar em uma única meta.

O que acontece quando você se concentra em uma coisa

Domine uma coisa de cada vez

Aqui está outra razão baseada na ciência para se concentrar em um hábito de cada vez:

Quando você começa a praticar um novo hábito, exige muito esforço consciente para se lembrar de fazê-lo. Depois de algum tempo, no entanto, o padrão de comportamento se torna mais fácil.

Eventualmente, seu novo hábito se torna uma rotina normal e o processo é mais ou menos impensado e automático.

Leia:  A regra das 5 horas transforma pessoas comuns em pessoas de sucesso

Os pesquisadores têm um termo chique para esse processo, chamado “automaticidade”. A automaticidade é a capacidade de realizar um comportamento sem pensar em cada passo, o que permite que o padrão se torne automático e habitual.

Mas aqui está o segredo: a automaticidade só ocorre como resultado de muita repetição e prática. Quanto mais repetições você fizer, mais automático será o comportamento.

Por exemplo, este gráfico mostra quanto tempo leva para as pessoas criarem um hábito de fazer uma caminhada de 10 minutos após o café da manhã.

No começo, o grau de automaticidade é muito baixo. Após 30 dias, o hábito está se tornando bastante rotineiro. Após 60 dias, o processo é tão automático quanto possível. [2]

Domine uma coisa de cada vez

A coisa mais importante a notar é que existe um “ponto de inflexão” em que novos hábitos se tornam mais ou menos automáticos.

O tempo necessário para construir um hábito depende de muitos fatores, incluindo quão difícil é o hábito, como é seu ambiente, sua genética e muito mais.

Dito isso, o estudo citado acima descobriu que o hábito médio leva cerca de 66 dias para se tornar automático.

(Não coloque muita fé nesse número. O intervalo no estudo foi muito amplo e a única conclusão razoável que você deve fazer é que levará meses para que novos hábitos se tornem permanentes.)

Mude sua vida sem mudar sua vida inteira

Domine uma coisa de cada vez

Tudo bem, vamos rever o que eu sugeri até agora e descobrir algumas dicas práticas.

Você é 2x a 3x mais propenso a seguir com um hábito se fizer um plano específico para quando, onde e como você vai implementá-lo. Isso é conhecido como uma intenção de implementação.

Você deve se concentrar inteiramente em um hábito. A pesquisa descobriu que as intenções de implementação não funcionam se você tentar melhorar vários hábitos ao mesmo tempo.

A pesquisa mostrou que qualquer hábito se torna mais automático com mais prática. Em média, são necessários pelo menos dois meses para que novos hábitos se tornem comportamentos automáticos.

Isso nos leva à conclusão deste artigo…

A percepção contraintuitiva de toda essa pesquisa é que a melhor maneira de mudar toda a sua vida é não mudar toda a sua vida. Em vez disso, é melhor se concentrar em um hábito específico, trabalhá-lo até dominá-lo e torná-lo uma parte automática do seu cotidiano.

Então, repita o processo para o próximo hábito.

A maneira de dominar mais coisas a longo prazo é simplesmente focar em uma coisa agora.

Referências

[1] “Too Much of a Good Thing: The Benefits of Implementation Intentions Depend on the Number of Goals”, por Amy N. Dalton e Stephen A. Spiller (2012). Journal of Consumer Research.

[2] “How are habits formed: Modeling habit formation in the real world”, por Phillippa Lally, Cornelia H. M. Van Jaarsveld, Henry W. W. Potts e Jane Wardle (2010). European Journal of Social Psychology.

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Medium escrito por James Clear.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Gostou? Então comente e compartilhe este conteúdo com seus amigos!