Mente

9 lições essenciais da vida para aprender antes da meia-idade

Aos 57 anos de idade, eu consigo olhar para trás e ver minha vida sob uma luz totalmente diferente de quando eu tinha 40, 30 ou 20 anos.

Muito do que eu acreditava que era crucial para o meu sucesso e felicidade quando eu estava em meus 20 e 30 anos provou ser errado e equivocado.

E a maioria dessas noções equivocadas baseou-se nos “deverias” que somos ensinados e ouvimos todos os dias – o que a sociedade, nossas famílias ou o “pensamento coletivo” considera “sucesso” (significando: ganhar muito dinheiro, ter uma grande casa, subir para um alto nível corporativo, buscar poder e influência, etc.).

O problema é que essas medidas externas de “sucesso” simplesmente não podem e não nos darão a satisfação, o significado, o contentamento sincero e a paz que estamos desejando.

Curiosamente, eu consegui todas essas medidas de sucesso em um ponto ou outro, e literalmente nenhuma delas chegou perto de produzir a felicidade e satisfação que eu desejava.

Por outro lado, os esforços que fizeram de mim quem eu sou hoje (e abriu o caminho para muito mais alegria e profunda satisfação) estão por toda parte.

Experimentando amor sincero, honestidade, compaixão, cura, construindo limites fortes, reunindo intenso comprometimento, assumindo grandes riscos, e corajosamente defendendo quem eu realmente sou em meu núcleo, e fazendo o melhor uso possível do mundo.

Eu vi, ao trabalhar e treinar milhares de pessoas nos últimos 12 anos, que são as mesmas coisas que a sociedade nos adverte contra tendem a produzir os retornos mais poderosos em nossas vidas.

A sociedade tende a nos instruir sutilmente ou abertamente a NÃO arriscar, NÃO seguir nossas paixões, NÃO se levantar e defender a autenticidade de nós mesmos (ainda mais se você for uma mulher) ou fazer a coisa “estúpida” que você sente em seu coração que o levará a ser quem realmente é.

Mas o pensamento da sociedade muitas vezes está errado.

Olhando para trás, descobri que há 9 lições poderosas da minha vida que eu gostaria de ter entendido muito antes.

Se eu soubesse disso há 30 anos, não teria desperdiçado tanto tempo e energia nas escolhas erradas.

Lições essenciais da vida para aprender antes da meia-idade

As 9 principais lições que precisamos aprender antes da meia-idade são:

1. Tome uma decisão corajosa sobre o que você quer representar

Eu já trabalhei com centenas de adultos, filhos de narcisistas ao redor do mundo, e muitos outros que foram tratados terrivelmente e emocionalmente manipulados quando crianças e adultos.

Quando isso acontece quando somos crianças pequenas, nosso desenvolvimento é frustrado, e achamos muito difícil acreditar que somos “bons o suficiente” ou defender quem realmente somos (ou até nos atrever a descobrir).

Mesmo os que não foram maltratados quando criança, muitos não assumem uma posição na vida que querem viver.

Somente aos 41 anos eu comecei a falar e defender a mim e a minha vida, e nunca mais deixarei os outros me definirem ou me suprimirem.

Antes que seja tarde demais, você precisa “encontrar sua coragem” e tomar uma posição firme sobre quem você quer ser no mundo e o que você representa.

Também é hora de parar de tolerar e permitir o que você não pode mais aceitar, em sua vida e no mundo.

Tome a decisão hoje de se tornar a pessoa que você terá orgulho e honra de ser, para que você não se arrependa quando chegar a hora de deixar esta vida.

O que você quer representar, começando agora?

2. Nunca comprometa sua alma

Há coisas que podem ser comprometidas – talvez o tamanho da sua casa, a localização geográfica do seu trabalho, a duração do seu trajeto ou para onde você irá nas férias de verão.

Mas não é legal comprometer sua alma. Se você fizer isso, resultados desastrosos acontecerão.

Saiba o que mantém seu espírito vivo e honre isso com tudo o que você tem.

Para mim, isso é verdade, transparência, compaixão, força e integridade. Por anos eu não pude expressar livremente nada disso sem punição ou supressão.

Se não posso viver essas qualidades no meu trabalho ou nos meus relacionamentos, começo a murchar, falhar e desaparecer. Mas eu aprendi o que é necessário para honrar minha alma, e não vou comprometê-la novamente.

O que você precisa fazer para manter seu espírito vivo?

Lições essenciais da vida para aprender antes da meia-idade

3. Envolva sua sabedoria e discernimento quando escolher quem amar e confiar

As pessoas com as quais você escolhe se relacionar – seja através de casamento, amizade, parcerias de negócios, colegas de trabalho e pessoas contratadas para trabalhar com e para você – terão um impacto dramático na qualidade e condição de sua vida.

Não deixe pessoas que irão te ferir, rebaixar, diminuir e maltratar entrarem na sua vida. Simplesmente não permita isso.

Se você atrai continuamente pessoas que o magoam ou abusam, você precisa olhar para o que está dentro de você que precisa ser curado, para que você não continue se agarrando a padrões abusivos repetidas vezes.

Seja incrivelmente perspicaz sobre a quem você dará seu coração e confiará.

E se e quando eles violarem sua confiança, cuidado e respeito, não espere para fazer algo autoafirmativo e firme sobre isso.

Quem está em sua vida hoje que você precisa se afastar?

4. Não espere nem mais um minuto para expressar e honrar sua criatividade

Por muitos anos, não me vi como criativa – eu me considerava os “sacos de dinheiro” da minha família.

Eu pensei que outras pessoas na minha família e na minha vida eram criativas. Mas isso simplesmente não é verdade. Eu apenas não me permiti ver o que há dentro de mim.

Ou, mais apropriadamente, deixei que muitas das habilidades criativas da minha infância e adolescência fossem para o subterrâneo – eu não entendia o quanto elas são valiosas.

Uma vez que comecei a honrar e nutrir a força criativa dentro de mim, meu mundo mudou da noite para o dia, e meu trabalho se tornou um veículo através do qual eu podia expressar meus anseios e habilidades criativas.

Eu seria milionária se ganhasse um dólar por cada mulher que me disse que está morrendo de tédio e sem sentido em seu trabalho, e que há um lado criativo dela que está sedento para aflorar.

A verdade é esta: Escritores escrevem, pintores pintam, dançarinos dançam. Apenas FAÇA aquilo que você está desesperado para fazer.

Leia:  13 sinais de que você tem uma boa inteligência emocional

Você não tem que jogar toda a sua carreira pela janela para honrar sua criatividade. Basta pegar o pincel e começar a se comprometer com a pintura, hoje.

Apenas esse passo irá melhorar sua vida.

Que desejo criativo você está desesperado para trazer para sua vida hoje?

5. Procure ajuda quando não tiver força ou poder para mudar o que é necessário

Esta é realmente simples. Quando você achar que não consegue fazer o que quer sozinho, então procure ajuda. Não espere.

Procure por um mentor, um amigo, um aliado, alguém que ama e respeita você.

Não espere durante anos e anos pensando: “Eu não tenho o que é preciso para fazer isso”.

A verdade é que talvez você não tenha o que é preciso agora, mas com o tipo certo de ajuda, você terá.

Que ajuda você pode pedir agora mesmo em sua vida, para se mover em direção ao que você realmente quer?

Lições essenciais da vida para aprender antes da meia-idade

6. Não se vire contra a realidade

Durante anos, eu fiquei presa em situações, empregos e relacionamentos ruins porque eu não queria encarar a realidade – que eu precisava de uma GRANDE mudança na minha vida e em como eu estava operando no mundo, se eu quisesse ser feliz.

Eu me virei contra a minha realidade, em vez de seguir o fluxo dela, e mudar de rumo, ou mesmo fazer pequenos pivôs e revisões que me tirariam dos cenários ruins que eu atraía continuamente.

Não se vire contra a sua realidade – mude-a. E fazer isso não significa que você tem que jogar o bebê para fora com a água do banho.

Descubra alguns pequenos passos que você pode dar para fazer uma diferença perceptível em sua situação e comece a realizá-los.

Com qual realidade você está se rompendo hoje?

7. Cure seu relacionamento com dinheiro e não se envenene com isso

Ao olhar para o que eu aprendi sobre dinheiro quando criança, e como comecei a me relacionar com ele, vejo agora que desenvolvi algumas ideias muito negativas e doentias sobre dinheiro.

O pior ideia foi essa: “Eu sempre ganho muito dinheiro no meu trabalho, mas me sinto como uma prostituta fazendo isso”.

Ou seja, eu comecei a sentir na minha vida corporativa que a única maneira de ganhar muito dinheiro era vender minha alma, odiar o que eu fazia e as pessoas com quem eu fazia, e comprometer quem eu realmente era – me vender para o dólar todo-poderoso.

Essas crenças negativas controlam como você se relaciona e atrai (ou repele) dinheiro.

Olhe para trás em sua infância e pergunte-se: “O que eu aprendi com minha família e minha infância sobre como ver e se relacionar com dinheiro?”

Foi com poder ou fraqueza, sigilo ou abertura, vergonha ou orgulho, coragem ou medo, amor ou ódio, ressentimento ou expectativa feliz?

Quem controlou o dinheiro e quem desistiu do controle?

Quando você escreve a sua história do dinheiro desde o início dos tempos até agora, você verá padrões que estão vivos hoje e que estão impedindo você de abraçar o dinheiro como uma forma de energia positiva em sua vida.

Qual é a sua história do dinheiro e como isso está impedindo você de ter um relacionamento saudável com ele?

8. Não perca um segundo em “deveria”

Como alguém que explora questões de identidade de gênero, preconceito inconsciente e conformidade, vejo agora com clareza como as regras da sociedade (e da nossa tribo) sobre o que é feminino e o que as mulheres “deveriam” fazer e agir têm sido tão constrangedoras para mim, pessoalmente e profissionalmente.

E vejo agora como as expectativas e projeções sobre o que é “masculino” suprimem os homens de seus eus autênticos também.

Vejo também como meu papel na minha família me levou a me concentrar intensamente em viver de acordo com o que eu sentia que os outros queriam de mim, para fazê-los orgulhosos ou sentirem-se amados e aceitos.

Todos esses são os “deverias” da minha vida, e ceder aos “deverias” (as expectativas e exigências dos outros sobre como você deve viver e se comportar) simplesmente não pode levar a uma vida feliz.

Como alguém tão sabiamente disse: “Pare de ‘deverizar’ a si mesmo.”

Pare de responder ao que você sente que é obrigação e comece a fazer o que você realmente quer fazer, da maneira que você quer fazer. E lide de maneira firme com os resultados disso.

Como você está se comportando hoje que é uma questão de “deveria” e não uma questão do que você realmente quer fazer?

Lições essenciais da vida para aprender antes da meia-idade

9. Deixe de lado a dor, raiva e ressentimento

Uau. Eu, como você, estou supondo, tenho experimentado tanta dor, raiva, ressentimento e confusão na minha vida.

De relacionamentos que me devastaram a empregos que me esmagaram, a colegas que se voltaram contra mim – experimentei um desgosto que me pôs de joelhos. E eu sei que você também.

A vida é cheia de obstáculos incrivelmente difíceis que podem nos deixar quebrados e sangrando.

Mas a vida também pode ser tão bela, brilhante e radiante que você fica de joelhos com incrível gratidão e humildade diante da beleza e da maravilha.

Eu aprendi que é uma escolha – ser consumido pela terrível dor e raiva ou encontrar uma maneira de curar e liberar.

Ficar preso, afogando-se no veneno do ódio e dos sonhos devastados, ou perdoar em seu coração, ver a sua parte, deixar-se levar e continuar construindo uma vida significativa e recompensadora.

Eu aprendi que segurar a dor e a raiva perde todo o sentido de vida. Nós não viemos aqui, neste planeta, para passar toda a nossa vida aqui em um estado de raiva e desilusão.

Viemos aqui para aprender, crescer e prosperar.

Então, que dor e raiva você está agarrando que você precisa se libertar?

Eu continuo aprendendo essas 9 lições todos os dias, a cada minuto, mas reaprendê-las transformou minha vida. Eu só queria ter aprendido antes.

Qual destas lições ressoa mais profundamente com você? Comente!

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Thrive Global escrito por Kathy Caprino.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe este texto com seus amigos!