Mente

As pessoas julgam sua inteligência pelo tom de voz e velocidade de fala

Quer que as pessoas pensem que você é inteligente?

Alguém já te disse que “você é muito mais esperto do que parece”?

Sem dúvida, podem te achar menos inteligente, principalmente quando você nunca tem a chance de mostrar seu intelecto!

E, embora isso possa ser uma mera inconveniência social, pode ser uma questão decisiva quando se trata de sua carreira, por exemplo.

Se você entrar em uma entrevista de emprego e a primeira impressão que o entrevistador tiver de você não for “muito inteligente”, quais as chances de você conseguir esse emprego?

O mais importante é a sua voz

Como as pessoas julgam sua inteligência

Mas o que determina se alguém vai te perceber ou não como uma pessoa inteligente à primeira vista?

Se você perguntar pra uma pessoa na rua, ela provavelmente diria que isso depende principalmente das aparências e das habilidades de conversação.

Mas a ciência mostra o contrário.

Em um estudo publicado no Journal of Psychological Science, estudantes de MBA da Universidade de Chicago foram filmados dando argumentos sobre porque eles deveriam ser contratados.

Os possíveis empregadores e recrutadores tinham, então, três opções: assistir ao vídeo, ouvir o áudio ou ler uma transcrição.

Aqui está o que o estudo concluiu:

“Esses avaliadores classificaram um candidato como mais competente, pensativo e inteligente quando ouviram um discurso em vez de lê-lo e, como resultado, tiveram uma impressão mais favorável do candidato e estavam mais interessados ​​em contratá-lo.”

“Colocar a voz de atores lendo as transcrições produziu os mesmos resultados.”

A adição de estímulos visuais aos campos de áudio não alterou a avaliação dos candidatos. Para transmitir o intelecto, é importante que a voz de alguém, literalmente, seja ouvida”.

Para resumir, quando se trata de primeiras impressões sobre inteligência, parece que sua voz é o pré-requisito mais relevante.

A razão por trás dessa descoberta é atribuída à evolução humana; nossas vozes são ferramentas que foram cuidadosamente aprimoradas para comunicação.

No texto, perdas paralinguísticas que fornecem informações críticas sobre a inteligência e a reflexão de um falante são perdidas.

Três chaves para dar uma boa primeira impressão

Agora que você sabe o quão importante é sua voz, vamos dar uma olhada nas chaves para dar uma boa primeira impressão:

1. Use um tom mais baixo e uma inflexão vocal

As pessoas associam um tom agudo com nervosismo ou infantilidade. Você quer fazer o contrário: diminua seu tom de voz. Isso projeta confiança e maturidade.

Você também precisa evitar o uso de ‘uptalk‘, que é uma inflexão vocal crescente no final das suas frases.

Uptalk, combinado com um tom agudo, só amplificará a percepção das pessoas sobre como você está nervoso(a) ou é infantil.

Além disso, as pessoas que usam o uptalk são percebidas como menos sábias; independentemente do conteúdo que trazem.

No entanto, é importante tomar cuidado com o uso de inflexão vocal decrescente ou o ‘downtalk‘. O uso excessivo dessa técnica pode fazer você parecer grosseiro(a) ou agressivo(a).

Leia:  Como mudar sua vida para melhor em apenas um mês

2. Evite palavras de preenchimento

As palavras de preenchimento, também chamadas de ‘muletas vocais’, são palavras como “ah”, “hmm”, “ééé”, “né”, “sabe?” e outras frases semelhantes.

Mesmo que todos usem palavras de preenchimento, usá-las faz com que você pareça não ter confiança e competência.

Para evitar o uso dessas expressões, você deve primeiro estar ciente de quais você usa.

A especialista em comunicações Lisa B. Marshall sugere que três pessoas se gravem em conversas e ouçam as gravações cinco minutos por dia por duas semanas.

É melhor substituir essas palavras pelo silêncio. Pausas verbais, mesmo quando usadas em excesso, servem para aumentar a credibilidade de um falante.

3. Fale mais rápido

Como as pessoas julgam sua inteligência

Não muito rápido, é claro, ou ninguém entenderá uma palavra que você está dizendo.

No entanto, os oradores mais rápidos são percebidos como mais confiantes, de acordo com um estudo realizado na Universidade Brigham Young.

Lisa também observa que a taxa de fala ideal é de cerca de 150 palavras por minuto, que também é a velocidade recomendada para livros de áudio.

Evitar o uso de palavras de preenchimento naturalmente acelerará seu discurso, mas você também pode praticar discurso mais rápido através de treinos de leitura.

– Pratique ler um texto em voz alta em velocidades variadas: comece lendo em uma velocidade normal e tente aumentar lentamente a velocidade em cada repetição.

Leia de trás para frente para ter um desafio extra, assim você não fará tantas pausas para entender o que está dizendo em voz alta.

– Use trava-línguas: não apenas para crianças, isso é ótimo para se aquecer antes de uma apresentação também.

Se você tem problemas para pronunciar palavras que começam com uma determinada letra, encontre trava-línguas que começam com a referida letra.

Por exemplo, se você tem problemas para pronunciar palavras começando com a letra ‘P’, então escolha o clássico “O peito do pé de Pedro é preto”.

– Insira palavras aleatórias em uma leitura em voz alta: adicione preposições arbitrárias como ‘a’ ou conjunções como ‘e’ ao ler uma mensagem em voz alta. Isso te obrigará a ler sem pensar o que isso significa.

Além disso, também dará ao seu discurso uma certa rima e dicção que se traduz bem em outras situações de fala rápida.

Aqui está um exemplo: a frase “a raposa saltou sobre a cerca” pode se tornar “a e a raposa e pulou sobre e a cerca”.

Estas dicas te ajudam? Comente!

Esse é uma tradução do Awebic de artigo originalmente publicado em Life Hack, escrito por Ian Lee.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe este conteúdo com seus amigos!