Mente

Por que é tão difícil se motivar (e como se motivar de qualquer maneira)

Como treinador, considero um fracasso pessoal se não for capaz de motivar um cliente a fazer mudanças importantes na saúde e no estilo de vida.

Claro, há pessoas que simplesmente não se importam, mas posso identificá-las a 100 metros de distância. Eu não estou falando sobre elas.

Estou me referindo aos clientes que realmente querem perder peso.

Eles se importam de verdade, mas simplesmente não acontece. Eles lutam para reunir até metade da motivação necessária para fazer o trabalho, autossabotagem e, eventualmente, se sentem tão derrotados que desistem.

Dói de ver.

Por outro lado, outros clientes entram e concluem o trabalho. Suas visões estão prontas e eles apenas seguem adiante até a missão ser cumprida.

Nesse ponto, exercício e dieta saudável são partes não negociáveis ​​do seu estilo de vida. São quem eles se tornaram.

Mesmos métodos, resultados totalmente diferentes.

Eu queria lhe dar uma explicação simples para a sua falta de entusiasmo em torno do exercício.

Quando comecei a trabalhar neste artigo, meu objetivo era anunciar um mecanismo defeituoso de conexão cerebral que os cientistas acabaram de descobrir, depois entregar uma solução que impulsionaria seu mecanismo de motivação e o levaria para a terra da saúde, da vitalidade e dias começando cedo.

Infelizmente, isso não vai acontecer.

Mas continue lendo, porque, até certo ponto, a conexão do cérebro afeta o quanto você se sente motivado.

Seu cérebro e a motivação

Como se motivar de qualquer maneira

Então, o que separa meus clientes que atingem suas metas de perda de peso daqueles que não conseguem? É uma diferença na química do cérebro?

A resposta é sim e não.

Existe um sistema em seu cérebro que afeta seus níveis de motivação, chamado de rede de recompensas, explica Fiona Kumfor, pesquisadora sênior do Brain and Mind Center da Universidade de Sydney.

“Isso envolve duas regiões: o estriado ventral e partes do córtex pré-frontal”, diz o Dr. Kumfor.

“Juntos, eles estão envolvidos em nossa vontade de trabalhar, nossa motivação para se envolver em comportamentos e nossa vontade de persistir nesse esforço ao longo do tempo.”

“Realmente importante, influencia nossas decisões sobre o que está funcionando para nós e o que não está.”

A dopamina, um mensageiro químico, é o atacante estrela nesta rede de recompensas — é liberada durante situações prazerosas, e o estriado ventral e o córtex pré-frontal têm receptores que são realmente sensíveis a ela.

Um aumento em nossos níveis de dopamina para essas áreas é o que lhe dá essa sensação de recompensa, independentemente de o estímulo ser alimento, sexo, exercício, perda de gordura ou ganhar jogando Mario Kart.

Este impulso de dopamina é o que o encoraja a repetir a atividade que lhe deu a recompensa, para que você possa fazê-la novamente.

Mas aqui está o segredo: você não consegue essa recompensa até depois de se engajar no comportamento.

Gratificação instantânea

Como se motivar de qualquer maneira

Fazer com que alguém se engaje no comportamento por tempo suficiente para valorizar a dopamina em primeiro lugar é onde eu e muitos outros profissionais de saúde bem-intencionados ficamos presos.

O que faz uma pessoa ver o fato de ficar saudável como possível e outra pessoa a vê como intransponível é a pergunta que vale um Prêmio Nobel, diz o Dr. Kumfor, e infelizmente a ciência ainda não chegou lá.

Por que ir à academia em uma noite de sexta-feira, quando cerveja e hambúrgueres estão em oferta? Somos ruins em nos concentrar em ganhos de longo prazo.

“Mas o que sabemos é que os seres humanos são ruins em se concentrar no futuro distante e em recompensas menos tangíveis”, explica ela.

Por exemplo, estudos mostraram que, dada a escolha entre obter $10 agora e $100 no próximo mês, a maioria de nós irá para a gratificação instantânea.

Isso faz sentido quando você pensa em termos de fazer mudanças massivas no estilo de vida: a perda de peso substancial parece muito distante e pode não acontecer, ao passo que aquele bife empanado com batata frita é hoje à noite e garantidamente deliciosos.

Fracione

Como se motivar de qualquer maneira

Provavelmente somos melhores definindo recompensas de curto prazo ao longo do caminho até a grande recompensa, em vez de focarmos apenas no pote de ouro distante e difícil de imaginar no final do arco-íris.

Leia:  Montanha-russa em verso, roleta-russa inversa

Manter o comportamento de motivação direcionado por metas é difícil. Em vez disso, concentre-se em criar hábitos que o ajudem ao longo do caminho, sugere o Dr. Kumfor.

“O cérebro acha mais fácil lidar com o hábito do que tomar decisões todos os dias”, diz ela.

“Se há uma maneira de aproveitar o hábito, em vez de nos forçar a ser direcionado para a meta, isso é, sem dúvida, mais fácil.”

“Então, divida tudo em partes pequenas, gerenciáveis ​​e fáceis de digerir.”

Por exemplo, se você está tentando perder peso, se organize com antecedência.

Programe horários regulares, agende e pague por aulas, deixe o equipamento de treino pronto e o tenha disponível se for se exercitar depois do trabalho. Não vá para casa primeiro.

Treine-se para operar no piloto automático para que seu cérebro não se envolva. Caso contrário, você estará indo direto para a estrada de gratificação instantânea, sem parar na cidade de exercício.

Decidindo o que vale o esforço

Como se motivar de qualquer maneira

No final do dia, para fazer qualquer uma dessas coisas, você precisa decidir se seu objetivo realmente vale o esforço.

Há uma relação complexa entre o quão significativa é uma recompensa e a quantidade de esforço necessária para alcançá-la. Você só fará os sacrifícios se sua meta for realmente importante para você.

Você tem mais chances de manter seu hábito saudável se estiver fazendo isso por si mesmo, não por outras pessoas.

Pense na motivação como um espectro. Dentro disso, algumas pessoas estarão altamente motivadas, algumas moderadamente e outras acharão isso realmente desafiador. Além disso, a motivação pode mudar dependendo da pessoa e da situação.

Isso se deve em parte às diferenças na maneira como nosso cérebro funciona.

Por exemplo, enquanto eu (geralmente) não tenho problemas em me motivar a fazer exercícios, prefiro limpar o forno do que começar minha tarefa de estatísticas que deve ser feita em três dias.

É aqui que a motivação intrínseca (interna) pode ajudar. A motivação intrínseca é quando você é levado a fazer algo simplesmente porque acha agradável; não importa se há um pote de ouro no final.

Você está escolhendo fazer isso, ao invés de por obrigação.

A motivação extrínseca (externa), por outro lado, é quando você é levado a fazer uma atividade porque está evitando a dor ou a punição, está fazendo isso por outra pessoa ou sentindo que está sendo forçado.

Claro, você pode começar, mas não vai mantê-lo motivado por muito tempo.

“As pessoas que são mais intrinsecamente motivadas tendem a trabalhar em maior intensidade e são mais consistentes com sua rotina de exercícios”, explica o fisiologista do exercício Alex Budlevskis.

“Elas extraem mais significado e prazer da busca e são mais bem-sucedidas a longo prazo, seja em exercícios ou perda de peso.”

Isso faz sentido na teoria, mas como você encontra a motivação intrínseca para fazer exercícios (ou estatísticas), quando, sejamos honestos, é uma droga?

Pegue uma caneta e papel e responda a estas perguntas, o Sr. Budlevskis recomenda:

  1. O que é mais importante para mim na minha vida agora?
  2. Como [inserir meta que você deseja alcançar] está alinhado com isso?
  3. Como [fazer o trabalho necessário para alcançá-lo] me ajudará a alcançar outras metas na vida?

Preste atenção a coisas simples, mas extremamente importantes, como:

  1. Você está dormindo bem?
  2. Você tem tempo suficiente para si mesmo?
  3. Com que frequência faz algo para você mesmo, mesmo que seja pequeno?

Como estão seus níveis de energia?

Quaisquer que sejam as respostas, elas devem vir de você e não serem influenciadas por fatores externos, como outras pessoas ou expectativas.

Lembre-se, estamos indo totalmente para o intrínseco. Ninguém mais pode fazer isso ser significativo para você.

Agora, pergunte-se: o esforço vale a recompensa?

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em ABC News, escrito por Cassie White.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Gostou do conteúdo? Então comente e compartilhe-o com seus amigos!