Educação

5 mentiras que contamos para não sair da zona de conforto

Você já adiou por muito tempo algum empreendimento ou atividade e depois acabou sendo forçado a tomar uma atitude? Talvez você se veja nessa situação agora ou até tenha passado por isso antes.

A zona de conforto é o que nos prende ao seguro e conhecido. A vida talvez não esteja muito boa ou necessite de um novo horizonte, mas o medo de começar ou recomeçar afasta a vontade de tentar.

A psicóloga Jennifer Delgado escreveu um artigo explicando que a zona de conforto não é benéfica para o desenvolvimento pessoal, que se reflete diretamente nos outros campos da vida.

Ela aponta cinco mentiras que nos fazem acreditar que está tudo bem e nos prendem a uma vida segura, porém sem grandes desafios e crescimento:

1. “Eu não tenho por que fazer”

O primeiro ponto para Jennifer é essa questão do crescimento. Se resistir em sair de sua zona de conforto, não crescerá e não é o passar dos anos o responsável por isso, mas os desafios enfrentados no caminho.

Pensar que não precisa fazer algo é uma resistência à mudança para se manter dentro dos limites do conhecido.

Quando pensar que não tem motivos para fazer algo novo, lembre-se que o simples fato de crescer e descobrir são razões mais que suficientes

2. “Não é o momento certo”

Realmente, são poucas as ocasiões perfeitas. Ir em busca de um sonho é lutar contra o vento e a maré, criando as condições ao longo do caminho.

O medo do fracasso é o que está por trás desse pensamento. É claro que a psicóloga observa que ninguém vai se lançar a uma aventura sem analisar os prós e os contras.

Mas se queremos chegar a algum lugar na vida, devemos ser conscientes de que não podermos ficar parados. Dando pequenos passos, logo estamos andando melhor.

3. “Vou começar quando…”

Essa desculpa é bem parceira da anterior, além do momento não ser o certo, ainda tem um acontecimento específico para começar a agir. Na prática, esse é um engano perfeito, pois não é a desistência de um sonho, apenas um adiamento passageiro.

Essa armadilha resulta na procrastinação: deixando para depois, arrumando desculpas que confortam. E quando essa condição finalmente acontece, colocamos outra e mais outra.

Por isso, mesmo que não tenha todas as situações criadas, simplesmente dê pequenos passos. Não espere demais, porque a vida é muito curta.

4. “Não é para mim”

Aqui se esconde a ideia de que não somos bons ou capazes o suficiente. Pessoas inseguras e que tem baixa autoestima pensam constantemente assim.

Leia:  12 fatos surpreendentes da psicologia que todos deveríamos conhecer

E também quem tem medo do mundo e se fecha para novas experiências. Mas como saber que você não gosta de algo se nunca sequer tentou?

Não se feche nunca para novas experiências e não se limite como pessoa. É a pior coisa que poderia fazer.

5. “Eu não sei como fazer”

O novo assusta e Jennifer diz que essa é uma desculpa comum para se manter na zona de conforto e não enfrentar o desafio.

Mas lembre-se que quando temos um ‘por que’, os ‘como’ chegam sozinhos.

Realizar projetos requer preparação, o que não significa que não possa fazê-lo. Nenhuma destreza surge do nada, todos tem em sua base muita paixão e esforço”, completa.

Ganha-se muito ao tentar

Lembra-se da pergunta do início desse texto?

Jennifer conta em seu artigo a fábula de um rei que ganhou dois falcões. Um foi muito bem treinado, mas o outro ficava empoleirado no mesmo galho sem nunca voar.

O rei chamou várias pessoas, inclusive um curandeiro, mas ninguém foi capaz de resolver o problema. Então um dia, um camponês simplesmente cortou o galho e o falcão teve que alçar voo.

Esse é um bom exemplo de que ficar muito tempo na zona de conforto nos impede de saber o quão longe poderíamos chegar. A vida sempre ensina, mas é muito melhor ter a coragem de empreender e não ser levado pelas circunstâncias.

Jennifer Delgado é especialista em saúde e psicologia e escreve em seu blog “Rincón de La Psicología” sobre vários assuntos relacionados e seu objetivo é fazer uma reflexão sobre os temas da vida com perspectiva positiva e, sobretudo, consciente.

Você ousa sonhar?

O vídeo “Você ousa sonhar” da Inknowation, empresa que promove inovações estratégicas para organizações, ilustra muito bem o que foi dito até aqui e complementa o pensamento da psicóloga:

A zona de conforto não é boa para a saúde pessoal e profissional quando se torna o seu único lugar conhecido. Fora desse pequeno círculo estão todas as possibilidades e acreditar em si mesmo, é preciso.

Confira:

Você se viu aqui ou discorda de tudo? Compartilhe com os seus amigos!

Fontes: contioutra.com, rinconpsicologia.com.