Humanidade

Pela 1ª vez em 130 anos, a maioria dos adultos com menos de 35 anos vive com seus pais

Sinta-se em casa.

Houve uma mudança histórica sobre onde os jovens escolhem viver…

E a tendência não tem nada a ver com o movimentos culturais da moda, como o micro alojamento.

Em vez disso, esta versão da “economia compartilhada” é um retrocesso para o final do século 19.

Novos dados do Pew Research Center informam que 32,1% dos adultos entre 18 e 34 anos vivem em casa com seus pais, uma pluralidade na pesquisa. Enquanto isso, o número de jovens adultos que vivem com um parceiro ou cônjuge romântico continua a diminuir.

De fato, a última vez que muitos adultos entre 18 e 34 anos moravam na casa dos pais, o Império do Brasil estava nos seus últimos anos.

Pew diz que a “mudança dramática” é principalmente devido ao número crescente de indivíduos que estão optando por não se estabelecer romanticamente antes dos 35 anos.

morar na casa dos pais

“Datado de 1880, o arranjo mais comum entre jovens adultos tem sido viver com um parceiro romântico, seja um cônjuge ou um parceiro significativo”, escreveu Richard Fry, da Pew.

“Esse tipo de arranjo atingiu o pico por volta de 1960, quando 62% dos jovens de 18 a 34 anos viviam com um cônjuge ou parceiro em sua própria casa, e apenas um em cinco morava com os pais.”

Hoje, o número caiu para 31,6%. Os homens são mais propensos (35%) do que as mulheres (29%) a viver com os pais.

Em um estudo separado, Pew estimou que cerca de um quarto dos jovens adultos hoje pode optar por nunca se estabelecer com um cônjuge ou outra pessoa significativa.

Outras opções como “morar sozinho” (14%) e “outro tipo de moradia” (22%) ficaram para trás. E esses 22% incluem todos os estudantes universitários que moram em dormitórios, repúblicas ou com outros membros da família que não são seus pais.

Leia:  Veja como aprender de forma 50% mais eficiente com a 'repetição espaçada'

A pesquisa foi feita nos EUA, mas o Brasil segue o mesmo caminho.

Em junho de 2017, uma reportagem do El País mostrou que os brasileiros de classe média estão adiando, cada vez mais, a saída da casa dos pais.

Embora já tenham algum tipo de renda, hoje um a cada quatro jovens – de 25 a 34 anos – ainda vive com a família. A proporção há 12 anos era menor, um a cada cinco deles morava com os pais.

No Brasil, a “geração canguru” é composta majoritariamente por homens (60,2%), segundo o estudo Síntese de Indicadores Sociais (2016) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Compartilhe o artigo com seus amigos!