Humanidade

Pai usa salário de gari para criar a filha e ajudá-la a se formar em medicina

Essa é uma daquelas histórias que exemplifica a importância de respeitar a dignidade do próximo, de não duvidar de suas capacidades para transformar o próprio destino e de ter gratidão por quem nos apoia incondicionalmente:

O gari Thales Pereira criou a filha sozinho e a formou em medicina na Universidade Federal de Goiás (UFG).

Em 2015, o gari que vive em Goiânia, virou notícia por estar prestes a formar a filha de 26 anos, Aline de Castro Pereira, em medicina.

Os esforços do pai orgulhoso proporcionaram a melhor educação possível para a filha realizar o sonho de ser médica.

Como a esposa de Tales morreu de câncer no estômago quando Aline ainda era criança, ele criou a filha sozinho.

Essa perda para a doença despertou na jovem o desejo de ser médica e depois de se especializar em gastroenteorologia.

Por gratidão, Aline fez uma dedicatória ao seu herói em destaque especial no convite de formatura:

“Ao meu pai, agradeço profundamente por ter vivido cada dia comigo se desdobrando para ajudar a cumprir minhas obrigações e se preocupando com meu bem-estar e me amparando com as mais diversas formas de amor. Você é meu maior exemplo de luta e determinação para vencer na vida,” contou ela à TV Anhanguera.

Além de orgulhoso, Tales ficou profundamente emocionado.

“É muito emocionante. A gente fica todo derrubado. Fiz minha parte e ajudei. Agora ela vai colher os frutos. Ela é uma joia. Para chegar onde chegou, é uma guerreira.”

Com o trabalho de gari, Thales pôde oferecer à filha estudo em escola particular durante todo o ensino médio.

A jovem passou no vestibular da Escola Superior de Ciências da Saúde, no DF, Universidade Federal do Tocantins (UFT) e na Universidade Federal de Goiás (UFG), onde ela escolheu realizar seu sonho de ser médica.

Leia:  Ela não fazia ideia do que estava para acontecer (não se surpreenda se você reagir da mesma forma)

Na ocasião da aprovação, Aline contou à TV Anhanguera a reação do pai: “Ele ficou na expectativa com um radinho de pilha, à moda antiga, esperando sair a lista. Quando eu vi na internet, foi muita emoção.”

Companheirismo, gratidão e retribuição

Hoje com 28 anos, fazendo residência clínica médica, Aline contou ao G1 que seu pai foi seu grande incentivador e melhor amigo:

“Ele é o meu melhor amigo, a pessoa que me incentivou a continuar todas as vezes que eu pensei em desistir. Não conseguiria sem ele”.

O primeiro salário como médica teve como destino ajudar o pai. Ela conta que no começo o pai resistiu um pouco.

O próximo passo de Aline é se especializar em gastroenteorologia.

“Quando eu recebi meu primeiro salário liguei para ele, eu fiquei chorando e ele emocionado também. Já fui ajudando, já coloquei um portão eletrônico na casa, pedi para ele deixar eu pagar algumas coisas aqui. No começo ele não queria deixar, mas fui convencendo. Primeira coisa que eu fiz foi comprar uma rede para ele, o primeiro presente foi esse”, disse ela ao G1.

Thales apoiou o sonho da filha e esteve ao seu lado em todos os momentos incentivando para que ela crescesse e fosse feliz e Aline retribuiu todo o cuidado do pai.

Uma história inspiradora!

Se você gostou do que leu por aqui, compartilhe com os seus amigos.

Fonte: razoesparaacreditar.com, g1.globo.com