Ela tirou fotos de pessoas desconhecidas antes e depois de beij√°-las
Cultura

Ela tirou fotos de pessoas desconhecidas antes e depois de beij√°-las

“Ao criar novos relacionamentos e aprender sobre pensamentos e id√©ias de desconhecidos, poderemos construir pontes e combater ignor√Ęncia e julgamento”.

Quando a fotógrafa Johanna Siring participou este ano do Festival Roskilde, na Dinamarca, ela fez amizade com uma infinidade de estranhos.

Seu método? Beijá-las.

“Os beijos excitam todas as termina√ß√Ķes nervosas em seus l√°bios”, explica Johanna, “causando uma libera√ß√£o de dopamina e um aumento na oxitocina”.

“√Č um analg√©sico instant√Ęneo e cria um v√≠nculo emocional imediato entre duas pessoas”.

Fotografia antes do beijo 1

Fotografia depois do beijo 1

A fotógrafa norueguesa abordava os potenciais modelos e pedia para que posassem para ela.

Depois de tirar a primeira foto, ela então explicava a ideia de sua série de fotos e, após pedir permissão para beijá-los, tirava uma segunda foto logo após de realizar o ato íntimo.

Ela deixou que as pessoas fotografadas determinassem como as coisas aconteceriam.

“Alguns me deram um beijo r√°pido e depois morreram de rir, outros me deram um beijo longo e molhado”, diz Johanna.

“A parte mais interessante foi que eu sentia que eu os conhecia um pouco ap√≥s o beijo e acho que esse sentimento se reflete nos segundos retratos”.

Fotografia antes do beijo 2

Fotografia depois do beijo 2

Johanna também não se limitou. Seus modelos variam em gênero, idade, aparência e raça.

Nas fotos de pr√©-beijo, cada pessoa est√° tentando projetar uma vers√£o espec√≠fica de si mesma — esticando seus ombros para parecer descontra√≠do ou sorrindo para parecer doce.

As fotos do pós-beijo mostram o quão fácil essa ideia é descartada.

Um garoto dá um sorriso apertado após o beijo, em grande contraste com o seu formidável casaco de motociclista, decorado com manchas e parafusos.

Johanna conta em entrevista ao i-D Vice que acredita que todas as pessoas são fotogênicas, mesmo as que dizem o contrário. E diz também como foi beijá-los.

Confira a entrevista e o trabalho da artista:

Fotografia antes do beijo 3

Fotografia depois do beijo 3

Roskilde foi iniciado nos anos 70 durante o movimento do hippie e cresceu para se tornar o maior festival de m√ļsica do norte da Europa, com artistas como Rihanna. Como √© a energia l√°?

“O festival com certeza foi destaque no meu √ļltimo ano, √© diferente de todos os festivais que j√° fui. Todos ficam com todos, √© uma mentalidade realmente libertadora.

Cerca de 125 mil pessoas se re√ļnem e criam essa m√°gica “aldeia” por oito dias seguidos.

O festival n√£o tem fins lucrativos desde seu in√≠cio, em 1971, e creio que isso tem algo a ver com a mentalidade das pessoas que se re√ļnem l√°.

N√£o importa o que voc√™ faz no mundo exterior, voc√™ n√£o tem que se preocupar com reuni√Ķes ou em planejar seu dia. O que voc√™ usa n√£o importa – voc√™ pode at√© mesmo n√£o usar nada.

Durante uma semana inteira você tem a liberdade de existir nesse universo despreocupado.

Voc√™ pode desligar seu c√©rebro e sair para se divertir, como quando era crian√ßa”.

Fotografia antes do beijo 4

Fotografia depois do beijo 4

O que est√° por tr√°s de seu interesse em pessoas desconhecidas?

“Eu fiz um “mantra” para mim mesma quando era muito jovem: se tiver algum pensamento sobre algu√©m, irei dizer-lhes.

Não importa se eu conheço a pessoa não. O que pode ser melhor do que obter um elogio de um estranho? Acabei de fotografar muitas dessas pessoas e muitas delas se tornaram meus amigos.

No meu mundo, toda pessoa √© fotog√™nica e tem algo √ļnico e interessante a respeito. √Č isso que eu me esfor√ßo para capturar em todas as minhas fotos – a ess√™ncia de cada pessoa”.

Fotografia antes do beijo 5

Fotografia depois do beijo 5

Muitas vezes, parece que a tecnologia tornou mais difícil, e não mais fácil, fazer amizade com estranhos. Como esta série de fotos ajudou você a superar as dificuldades modernas de fazer amigos na vida real?

“√Č s√≥ ter uma mente aberta e conhecer as pessoas com respeito, independentemente de sua hist√≥ria, nacionalidade, etnia ou religi√£o. Voc√™ pode sempre aprender com os outros.

Em meio ao turbilh√£o de not√≠cias de hoje, que giram em torno de a√ß√Ķes de √≥dio, sinto que √© mais importante do que nunca nos comunicarmos sobre a facilidade de conhecer gente nova e o fato de sermos todos humanos com os mesmos instintos b√°sicos.

Ao criar novos relacionamentos e aprender sobre pensamentos e ideias de pessoas estranhas, podemos construir pontes para combater a ignor√Ęncia e o julgamento”.

Fotografia antes do beijo 6

Fotografia depois do beijo 6

Em quais outros projetos você está trabalhando?

“Atualmente estou trabalhando em uma s√©rie sobre pessoas que conheci ao longo do caminho que se tornaram meus queridos amigos – isso significa muito para mim.

Al√©m disso, tenho a sorte de poder colaborar com a Matte, uma ag√™ncia em Nova Iorque que conta comigo para projetos de moda, m√ļsica e cultura.

Tamb√©m viajo continuamente de Nova Iorque para a Noruega, onde trabalho em uma revista cultural nacional chamada Dagbladet Magasinet”.

Fotografia antes do beijo 7

Fotografia depois do beijo 7

Fotografia antes do beijo 8

Fotografia depois do beijo 8

Fotografia antes do beijo 9

Fotografia depois do beijo 9

Fotografia antes do beijo 10

Fotografia depois do beijo 10

Fonte: vice.com.

Também gostou dessa série de fotos? Compartilhe com seus amigos!

O que você acha da atitude dessa fotógrafa? Comente com a gente! :)

Leia mais publica√ß√Ķes em Awebic.com. ‚ö°

N√≥s curtimos voc√™. Voc√™ nos curte de volta? ‚̧ԳŹ



Nossas sugest√Ķes pra voc√™

Clique para comentar

Deixe um coment√°rio


Nossos f√£s est√£o curtindo:

Ir Topo