8 prédios do centro antigo de São Paulo que você precisa conhecer
Cultura

8 prédios do centro antigo de São Paulo que você precisa conhecer

São Paulo é uma das cidades com maior quantidade de edifícios no mundo – são mais de 7 mil.

E numa cidade que se reconstrói o tempo todo, alguns prédios do centro antigo resistiram bravamente ao tempo e reúnem uma quantidade incrível de histórias e curiosidades.

Aqui estão 8 prédios do centro antigo de São Paulo que valem a pena você conhecer.

Banco de São Paulo – Estilo: art déco – Inauguração: 1938

Banco de São Paulo (1)

O antigo Banco de São Paulo foi o primeiro banco da cidade e atualmente é a sede da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do estado de São Paulo.

Banco de São Paulo (2)

O edifício é um dos mais bonitos do mundo no estilo Art Déco e tem uma fachada imponente que foi construída com a intenção de mostrar poder.

Banco de São Paulo (3)

Banco de São Paulo (4)

Banco de São Paulo (5)

Não existe vão separando o antigo banco e o prédio vizinho.

Banco de São Paulo (6)

Detalhes que cobrem a fachada até o topo do prédio e uma sombra formando a silhueta de um narigudo na janela.

Banco de São Paulo (7)

Mas não é só na fachada que o antigo Banco de São Paulo impressiona. O hall central tem um estilo e um silêncio que te fazem voltar no tempo e imaginar como as transações bancárias eram feitas na primeira metade do século XX.

Banco de São Paulo (8)

Mas o grande destaque está no subsolo, onde ficam os cofres. Ali o chão é todo decorado com medalhões em alto relevo e com as iniciais do banco. Conta uma “lenda urbana” (e acho que é só lenda mesmo) que ao lado de um dos cofres existe um túnel que leva até o Vale do Anhangabaú, cerca de 200 metros dali.

Banco de São Paulo (9)

Banco de São Paulo (10)

Banco de São Paulo (11)

A localização na Praça Antonio Prado, 9.

Edifício Triângulo – Estilo: moderno estilizado – Inauguração: 1955

Edifício Triângulo (1)

Com 18 andares, o Edifício Triângulo foi projetado por Oscar Niemeyer e está numa espécie de ilha bem no centro da cidade.

Edifício Triângulo (2)

Na fachada do edifício existe um painel feito por um dos maiores artistas modernistas do Brasil: Di Cavalcanti. O painel não está em bom estado de conservação e é triste ver que parte dele já foi danificado até por uma fogueira.

Edifício Triângulo (3)

O fato é que essa informação não é muito difundida e milhares de pessoas que passam em frente ao edifício todos os dias, nem desconfiam que aquela não é só “mais uma” parede.

E como o senso de proteção costuma aparecer só depois que enxergamos o valor das coisas, acho importante colocar este edifício e seu painel aqui na lista.

Edifício Triângulo (4)

A localização na Rua José Bonifácio, 24.

Palacete Tereza Toledo Lara – Estilo: eclético – Conclusão: 1910

Palacete Tereza Toledo Lara (1)

O palacete recebeu o nome da filha do Barão Antônio Toledo Lara – um dos fundadores da fábrica de bebidas Antarctica.

Embora o palacete não seja considerado um “prédio” para os dias atuais, ele é uma das construções mais antigas da cidade e também uma das mais bem conservadas. A quantidade de detalhes da fachada se destaca muito das construções que estão ao redor.

Palacete Tereza Toledo Lara (2)

Até a década de 30 o palacete foi lugar de importantes consultórios médicos e escritórios de advocacia. Mas a região ganhou uma atmosfera musical quando a Rádio Record mudou sua sede para o palacete e passou a atrair uma enorme quantidade de artistas e consequentemente legiões de fãs para a frente do prédio.

Em pouco tempo a frente do palacete se tornou a “esquina musical de São Paulo”.

Atualmente a rádio não funciona mais ali, mas a atmosfera musical continua presente já que o palacete abriga uma casa de shows (Casa Francisca) e também uma enorme loja de instrumentos musicais e partituras que é referência no país inteiro.

Palacete Tereza Toledo Lara (3)

Numa das colunas está o nome do arquiteto alemão que executou a obra: August Fried.

Palacete Tereza Toledo Lara (4)

A localização na Rua Quintino Bocaiuva, 22.

Guinle – Estilo: art nouveau – Inauguração: 1916

Guinle (1)

Com sete andares e 36 metros de altura, o Guinle foi o primeiro edifício de concreto armado do país e o mais alto da cidade até então. Foi construído para ser a sede paulistana dos negócios da família carioca Guinle.

Na fachada do prédio (que hoje dá espaço a uma loja de calçados) estão duas hastes com asas e serpentes enroladas. Veja nas fotos abaixo:

Guinle (2)

Esse símbolo que pode ser facilmente confundido com o símbolo da medicina, na verdade é o “Caduceu de Hermes” e está na frente do prédio justamente porque, na mitologia grega, Hermes era o deus do comércio. Pois foi com o comércio que a família Guinle começou a construir sua fortuna.

Guinle (3)

Caduceu de Hermes para a mitologia grega ou Caduceu de Mercúrio para a mitologia romana.

Guinle (4)

A localização na Rua Direita, 49.

Sampaio Moreira – Estilo: eclético – Inauguração: 1924

Sampaio Moreira (1)

Com 12 andares e 50 metros de altura, o Sampaio Moreira, para muitos é o merecedor do título de primeiro arranha-céu de São Paulo. Nele também está um dos estabelecimentos mais antigos da cidade, uma mercearia presente ali desde a inauguração do prédio.

Atualmente, o Sampaio Moreira está em processo de restauração.

Sampaio Moreira (2)

Fachada em restauração e a mercearia que funciona ali desde 1924.

Sampaio Moreira (3)

A localização na Rua Líbero Badaró, 340.

Martinelli – Estilo: eclético – Inauguração: 1929

Martinelli (1)

Quando o Martinelli foi construído não havia edifício mais alto do que ele em toda a América do Sul.

Martinelli (2)

O imigrante italiano Giuseppe Martinelli, não foi somente o proprietário do edifício, como também trabalhou como pedreiro em algumas fases da obra que idealizou. A construção era tão grande para os padrões da época, que houve muita polêmica em torno dos riscos de desabamento de um prédio deste porte.

Martinelli (3)

Martinelli (4)

Como forma de sinalizar que o prédio era seguro e também para acalmar os ânimos da população, imprensa e governo, Giuseppe Martinelli decidiu construir uma vila italiana no topo do edifício e lá foi morar com toda a família.

Martinelli (5)

A localização na Rua São Bento, 405.

Faculdade de Direito do Largo São Francisco – Estilo: neocolonial – Conclusão: 1930 (aprox.)

Largo São Francisco (1)

Por volta de 1930 foi construído o atual prédio da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, que hoje é tombado e considerado patrimônio do Estado de São Paulo.

Mas a Faculdade, que existe desde 1827, foi a primeira Faculdade de Direito do país e foi criada com a intenção de formar governantes e administradores públicos, já que o Brasil tinha acabado de se tornar uma República.

Largo São Francisco (2)

Antes da criação da faculdade, a cidade de São Paulo era uma vila pacata e sem grande representatividade no país – cidades como Rio de Janeiro, Recife e Salvador estavam a anos luz de São Paulo.

Mas após a chegada de estudantes vindos de todas as partes do Brasil, a cidade ganhou outra dinâmica durante as noites e também na vida cultural. Por isso, podemos dizer que a Faculdade tem grande influência na formação da cidade.

Largo São Francisco (3)

No pátio central, o motivo da Faculdade também ser conhecida pelo apelido de “Arcadas”.

Largo São Francisco (4)

Vitrais das escadarias feitos pela centenária Casa Conrado Sorgenicht.

Largo São Francisco (5)

A localização do Largo São Francisco.

Ouro para o bem de São Paulo – Estilo: art déco – Inauguração: 1939

Ouro para o bem de São Paulo (1)

Com o objetivo de financiar as tropas paulistas na revolução de 1932, São Paulo (que lutou sozinho contra as tropas do resto do Brasil) promoveu uma campanha chamada “Ouro para o bem de São Paulo”.

Nesta campanha, milhares de paulistas doaram suas jóias e até mesmo suas alianças para ajudar a financiar os custos das tropas do estado.

Ouro para o bem de São Paulo (2)

Mas São Paulo perdeu antes que todo o ouro arrecadado fosse revertido para a luta. Assim, “todas” as jóias foram doadas para a Santa Casa de Misericórdia que decidiu construir um edifício no centro da cidade com todo aquele ouro.

Ouro para o bem de São Paulo (3)

O prédio tem o desenho da bandeira do estado de São Paulo, onde cada uma das 13 listras é um andar. O mastro da bandeira é representado por anéis que simbolizam as inúmeras alianças doadas e no topo, em cima do mastro, embora seja muito difícil de enxergar, está um capacete enorme – como um dos que foram usados pelas tropas paulistas.

O edifício está num trecho estreito da rua e por isso é difícil de ser notado, já que os prédios em volta impedem que se tenha uma visão frontal e completa dele.

Ouro para o bem de São Paulo (4)

A localização na Rua Álvares Penteado, 23.

E o melhor é que todos esses 8 prédios ficam bem próximos um do outro.

Mapa dos prédios do centro de São Paulo

O centro antigo de São Paulo é fantástico e tem muito mais para ser explorado.

Qual desses prédios você já conhecia? Qual você incluiria na lista? Conte pra gente nos comentários!

Todas as fotos por Vinicyus Vieira.

***

Vinicyus Vieira é turismólogo, travel writer e o fotógrafo por trás dos cliques do VIAGEM’GRAFIA. Morou em 5 continentes, viajou por 7 anos e hoje vive no Brasil, alimentando o Viagem’Grafia e criando projetos que contribuem para o desenvolvimento do turismo. É paulistano, formado em Turismo pela PUC-SP e produtor de conteúdo de viagem em redes sociais.

Curta a página do Viagem’Grafia no Facebook:

Leia mais publicações em Awebic.com.

Nós curtimos você. Você nos curte de volta? ❤️



Nossas sugestões pra você

Clique para comentar

Deixe um comentário


Nossos fãs estão curtindo:

Ir Topo