in , , ,

Empresário cria rede de hostel especial para nômades digitais

O nomadismo digital tem se tornado cada vez mais frequente, pois pessoas do mundo todo têm mergulhado na experiência de trabalhar sem lugar fixo.

Não há dúvidas de que a internet é uma das ferramentas primordiais que possibilita a expansão desse estilo de trabalho (e de vida), mas outros fatores também são relevantes para que o sonho do “emprego próprio” não se transforme em pesadelo.

Pensando em ajudar essas pessoas, o nômade digital há 20 anos Bruno Haid resolveu investir seu tempo e dinheiro em um novo conceito de hostel ao qual deu o nome de Roam Co-Living.

O que é Roam Co-Living?

Inspirado no sistema de co-working, já muito famoso nos Estados Unidos e que vem ganhando força aqui no Brasil, Bruno criou a Roam Co-Living, uma rede de hostel que oferece o espaço e a estrutura necessários para os nômades digitais.

Coworking_Ubud

Mas isso não é novidade. Estrutura muitos hostels já têm. O diferencial da Roam é que, aliando à ideia dos espaços de co-working, Bruno criou um contrato de locação que não te obriga a estar o ano inteiro no mesmo local.

Você pode alugar o espaço “casa/trabalho” por uma semana ou um mês – como preferir.

Vantagens

Coworking_03

Além do processo contratual diferenciado, o grande ponto positivo do projeto de Bruno é a compilação de um “lar” com co-working, em que se permite estar hospedado no mesmo local onde realizará seu trabalho e ter todas as coordenadas para conhecer a cultura local e até mesmo potencializar seu próprio negócio, já que – por ser um espaço destinado aos nômades – não só a infraestrutura é adequada como a equipe é treinada para fazer com que você se adapte à nova cultura o mais rapidamente possível (evitando os frequentes percalços pelos quais costuma-se passar nessa condição).


Recomendamos para você:

Letícia Flores

Written by Letícia Flores

Letícia, do latim "alegria". Redatora, professora e inventadora. Escreve e dá aulas de italiano por paixão; produz conteúdo por profissão. Que sorte a desta menina, não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O fone de ouvido que promete traduzir qualquer língua

7 motivos para você nunca baixar Pokémon Go