Cultura

Psicólogos afirmam que ser fã de Harry Potter te torna uma pessoa melhor

A maior e mais importante magia que Harry Potter realizou não tem nada a ver com a sua varinha, e sim com o seu legado.

De acordo com a ciência, a saga Harry Potter não só serviu para entreter toda uma geração, como também ajuda a acabar com preconceitos.

Um estudo publicado no “Journal of Applied Social Psychology” afirma que os jovens que são fãs da história do bruxinho, são menos propensos a prejudicar grupos minoritários.

Ou seja, acompanhar a saga pode nos tornar pessoas melhores.

Nem todo mundo percebe, mas a história de Harry Potter aborda temas como tolerância, coragem e fazer o que é certo.

JK Rowling inclusive se inspirou em fatos históricos reais para criar os livros, mas de forma sutil.

Os comensais da morte, por exemplo, podem ser comparados com grupos nazistas e ao Klu Klux Klan, utilizando capas para se manterem anônimos e com toda a sua obsessão pela pureza de sangue.

Além de terríveis, os comensais da morte são hipócritas e covardes — e assim como os nazistas, acabam sendo derrotados.

Esse grupo mostra aos leitores o quão perigoso pode se tornar o pensamento radical.

Os livros também retratam a importância da gentileza e como até mesmo os pequenos atos de coragem fazem grande diferença.

Ao longo da série, Harry, mesmo sendo praticamente uma celebridade no mundo da magia, lida com personagens que pertencem a grupos diferentes e trata todos da mesma forma.

A personagem Hermione Granger pode nos ensinar muito também. Ela é filha de pessoas comuns, mas mesmo assim é uma bruxa.

Desde o início da saga ela é elogiada por ser ótima com feitiços, evitando o preconceito contra os “sangue ruins“, maneira como são chamadas as pessoas que não são filhas de bruxos.

Leia:  13 fatos psicológicos que todo mundo deveria saber

Mesmo que o termo “sangue ruim” seja coisa da série, é um insulto racial fictício que pode ser comparado aos utilizados na vida real.

A história criada por JK Rowling também incluiu personagens que mostram que não devemos julgar o livro pela capa.

Hagrid, por exemplo, é um homem grande e poderia ser considerado assustador, mas é totalmente leal e carinhoso com os amigos de Harry.

O professor Remo Lupin também é marginalizado pela sociedade por ser um lobisomem.

Mesmo assim ele consegue viver uma vida normal com os seus amigos, além de ser extremamente leal.

Dumbledore é outro personagem muito importante para a formação do caráter dos fãs da saga.

O diretor de Hogwarts sempre dá importantes lições de vida para os personagens que também podem ser levadas para o mundo real.

Veja um exemplo:

“São as nossas escolhas que mostram o que realmente somos, muito mais do que nossas habilidades”

Frases como esta podem nos ajudar a ver a vida com outros olhos.

Aposto que você vai passar a refletir sobre tudo isso da próxima vez que resolver rever ou reler algum filme ou livro da saga.

Compartilhe essa informação com os seus amigos fãs de Harry Potter!

Fonte: ladbible.com