Série fotográfica perturbadora questiona exploração de animais para consumo
Cultura

Série fotográfica perturbadora questiona exploração de animais para consumo

E se no lugar de bois, porcos e frangos, fossem humanos na fila do abatedouro?

A ideia parece tão perturbadora quanto a frase de Paul McCartney em um documentário sobre a prática da pecuária que alimenta nossos ‘instintos selvagens’:

“Se os matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos”

Para amenizar a situação, a indústria usa como argumento o “abate humanitário“, que defende a prática de uma ‘morte sem sofrimento‘ para os animais que chegam no nosso prato aos pedaços.

Mas ativistas como o fotógrafo de Limeira (SP) Hugo Fagundes não se deixam levar pela falácia midiática.

Por isso, ele criou o projeto Inversão Oculta, que mostra uma série de fotos que levantam questionamentos perturbadores.

Dá uma olhada na campanha:

Nos 300 dias em que o trabalho foi desenvolvido, Hugo revela que 4.717.440.000 animais foram mortos para consumo.

“Não existe um ser feliz quando ele tem sua morte predestinada”.

O que achou do projeto? Deixe a sua opinião nos comentários.

Fonte: hypeness.com.br

Nossas sugestões pra você

Clique para comentar

Deixe um comentário


Nossos fãs estão curtindo:

Ir Topo