Corpo

Neurocientistas enfim revelam o melhor exercício contra o envelhecimento

Conforme envelhecemos, alguns de nós começamos a desenvolver um relacionamento negativo com o espelho, pois ele começa a mostrar nosso cabelo grisalho, a flacidez de partes do nosso corpo e muitas linhas em nosso rosto que aparecem com a idade.

Porém, você pode melhorar esse relacionamento, porque neurocientistas finalmente descobriram uma forma prazerosa de retardar o processo de envelhecimento.

De acordo com um estudo publicado no Frontiers in Human Neuroscience Journal, pessoas que são fisicamente ativas podem retardar o processo de envelhecimento do cérebro.

Os neurocientistas por trás deste estudo dizem que dançar é a atividade física mais eficiente.

Mas por que dançar é o exercício mais eficiente para retardar o processo de envelhecimento do cérebro?

Melhor exercício contra a velhice

De acordo com a Dra. Kathrin Rehfeld, a autora líder do estudo, exercícios físicos possuem um efeito de retardar e até mesmo prevenir o declínio da atividade tanto mental quanto física do cérebro, que vem com seu processo de envelhecimento natural.

(Além de serem excelentes aliados para quem quer emagrecer rapidamente, claro.)

E seu estudo, eles provaram que dois tipos diferentes de atividade física – dança e treinamento de resistência – aumentam a área do cérebro que declina com o tempo conforme envelhecemos.

Mas, apenas a dança provou ser eficaz quando se trata de mudanças no comportamento devido às melhorias notáveis no equilíbrio.

Primeiramente, os pesquisadores selecionaram 52 idosos voluntários entre 63 e 80 anos para o propósito do estudo.

Então, eles os dividiram aleatoriamente em dois grupos, um grupo foi designado a participar de aulas de dança, e o outro grupo se juntou ao grupo de controle de esportes.

O grupo de dança teve aulas de dança com mudanças constantes de coreografia, as quais eles foram pedidos que memorizassem.

Melhor exercício contra a velhice

O programa para o grupo de esportes, por outro lado, consistia em treinos de força, treinos de resistência e treinos de flexibilidade.

Leia:  Os 3 estágios da falha na vida e no trabalho (e como corrigi-los)

A área do hipocampo do cérebro, que é a mais suscetível ao declínio por causa do processo de envelhecimento, aumentou nos dois grupos. Esta área do cérebro também é responsável pela memória, equilíbrio e pelo aprendizado.

Mas, somente os voluntários no grupo de dança tiveram um aumento de volume de outras subpartes no hipocampo esquerdo.

Além disso, somente a dança aumentou o volume de uma parte do hipocampo direito chamada de subículo.

Este estudo provou que a dança, principalmente quando seguida de uma mudança na coreografia, é de fato superior às atividades físicas repetitivas como caminhada ou ciclismo.

A Dra. Rehfeld explica que eles ofereceram aos participantes no grupo de dança diferentes gêneros musicais.

Eles mudaram a coreografia a cada duas semanas, introduzindo novos padrões para os braços, formações, passos, ritmos e diferente níveis de velocidade.

E aqueles que possuem dois pés esquerdos e nenhuma noção de ritmo?

Tente perder-se na música e não pense sobre quão constrangedor e engraçado você possa parecer. Porque a música de fato possui muitos benefícios terapêuticos – ela eleva seu espírito e aumenta seus níveis de felicidade.

Eu acredito que todos gostariam de viver uma vida independente e saudável, pelo maior tempo possível. A atividade física é um dos fatores de estilo de vida que pode contribuir para isso, contra-atacando vários fatores de risco e retardando o declínio relacionado à idade. Eu acho que a dança é uma ferramenta poderosa para colocar novos desafios para o corpo e a mente, principalmente em idade mais avançada”, explica a Dra. Rehfeld.

Assista a este casal de idosos dançando para se inspirar!

Você gosta de dançar ou é daqueles que têm vergonha? Comente!

Esse é uma tradução do Awebic de artigo originalmente publicado em Curious Mind Magazie.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Compartilhe este texto com seus amigos!