Ambiente

Piscinas biológicas usam plantas no lugar do cloro para manter a água limpa

Não são poucas as vezes em que, na rotina estressante do nosso dia a dia, desejamos entrar em contato com a natureza para relaxar um pouco e recarregar as energias.

Mas como nem sempre é possível se deslocar para chegar a uma praia, um riacho ou uma cachoeira, nós represamos as águas em forma de piscinas e precisamos adicionar elementos químicos para manter aquela considerável quantidade de água limpa por mais tempo.

No entanto, o cloro que é utilizado nas piscinas convencionais pode causar reações alérgicas nos nossos olhos, além de ressecar pele e cabelos – embora ainda seja um grande trunfo para manter as piscinas livres de bactérias, fungos e mosquitos da dengue, por exemplo.

Pensando em uma maneira de tornar essa nossa experiência artificial mais natural e sustentável, foram criadas as piscinas biológicas.

O que são piscinas biológicas?

01

O conceito desse tipo de piscina, também conhecida como biopiscina consiste em, basicamente, substituir as substâncias químicas por plantas aquáticas.

07

A ideia parece simples, mas não se trata simplesmente de jogar as plantas ali.

Para que elas se transformem em um sistema de filtragem útil é preciso escavar de 10 a 15 metros o terreno onde será colocada a piscina, impermeabilizá-la com uma tela de proteção (que, ao final, ficará invisível aos usuários) e dividi-la em duas partes: área de natação e área de plantas, para os banhistas não se enroscarem nas plantas.

02

Mas de que forma as plantas são capazes de realizar o trabalho antes atribuído aos químicos?

08

Bom, com o sistema já implantado, a natureza faz o seu papel.

As plantas começam a produzir biomassa por meio da fotossíntese, que, por sua vez, é consumida pelos micro-organismos que a transformam em matéria inorgânica (dióxido de carbono, nitratos, fosfatos, sulfatos, entre outros sais minerais).

Leia:  Caldo de osso: um prato antigo que traz benefícios incríveis para a saúde

Dessa forma, as plantas continuam a crescer e a fornecer matéria-prima para sua própria sobrevivência, mantendo a água filtrada e limpa.

Fortalecendo o ciclo da natureza

03

As biopiscinas permitem que se crie mantenha um ciclo de troca de energias, favorecendo um ecossistema que, naturalmente, nos agradece fazendo das piscinas um espaço mais agradável para viver experiências.

05

Mas não é qualquer tipo de planta que se pode utilizar nesses projetos.

Normalmente, elas são criadas em viveiros de empresas especializadas, garantindo que as espécies purifiquem a água sempre que liberarem oxigênio durante a fotossíntese.

04

E o preço das piscinas biológicas?

Apesar de a ideia ser incrível e a longo prazo promover uma economia maior, já que a instalação não precisa de equipamentos elétricos, o custo inicial é bem mais elevado que o das piscinas convencionais, pois o serviço especializado é bem difícil de encontrar no Brasil ainda.

Em Portugal, por exemplo, o preço do metro quadrado varia entre 120 e 150 euros. Numa conversão grosseira, podemos esperar o preço do m² da piscina biológica no Brasil entre R$ 430 e R$ 550.

06

Ainda assim, vale a inspiração de se aproveitar uma piscina natural, que contribua com a natureza e ainda componha uma paisagem ainda mais incrível aos nossos olhos, não é mesmo?

Fotos: biopiscinas.pt. Fonte: ciclovivo.com.br.